Varejo tem 1a queda em 6 meses em dezembro, mas avança 8,4% em 2012

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013 14:52 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier e Camila Moreira

RIO DE JANEIRO/SÃO PAULO, 19 Fev (Reuters) - As vendas no comércio varejista brasileiro registraram queda inesperada de 0,5 por cento em dezembro ante novembro, com os consumidores mostrando-se mais contidos em suas compras diante de preços mais altos, mostraram dados divulgados nesta terça-feira.

O recuo visto em dezembro foi o primeiro resultado negativo após seis meses consecutivos de crescimento, e evidencia a dificuldade de recuperação da atividade econômica. Em novembro, as vendas haviam subido 0,3 por cento e a última queda tinha sido registrada em maio De 2012, de 0,9 por cento.

Ainda assim, o setor fechou 2012 com alta nas vendas de 8,4 por cento, acima do avanço registrado em 2011 de 6,7 por cento, de acordo com dados divulgados nesta terça-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE).

"O comércio segurou a onda da economia em 2012", disse a jornalistas o economista do IBGE , Reinaldo Pereira, lembrando que a projeção é de que o Produto Interno Bruto (PIB) tenha crescido apenas 1 por cento no ano passado.

Na comparação dezembro de 2011, o volume de vendas em dezembro subiu 5,0 por cento, após avanço de 8,4 por cento em novembro na mesma comparação.

"O comércio vem resistindo e sobrevivendo à queda do ritmo da economia. Dezembro é um resultado pontual e não significa que 2013 vai ser ruim", disse.

Os resultados surpreenderam ao ficarem bem abaixo da expectativa do mercado, sendo que nenhum analista esperava queda nas vendas na comparação mensal, de acordo com pesquisa Reuters.

Na mediana das projeções, a expectativa era de alta de 0,8 por cento em dezembro sobre novembro, com as contas variando entre alta de 0,20 por cento e 1,60 por cento.   Continuação...

 
Um homem caminha em frente a caixas de som numa loja Casas Bahia em São Paulo. As vendas no comércio varejista brasileiro registraram queda inesperada de 0,5 por cento em dezembro ante novembro, com os consumidores mostrando-se mais contidos em suas compras diante de preços mais altos, mostraram dados divulgados nesta terça-feira. 7/02/2013 REUTERS/Nacho Doce