Testemunhas ouviram "gritos incessantes" na casa de Pistorius

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013 12:43 BRT
 

Por David Dolan e Peroshni Govender

PRETÓRIA, 20 Fev (Reuters) - Testemunhas escutaram "gritos incessantes" vindos da casa do atleta Oscar Pistorius na noite em que a namorada dele foi assassinada, disse nesta quarta-feira o detetive responsável pela investigação.

O detetive Hilton Botha também declarou à Justiça, em Pretória, que a polícia encontrou dois frascos de testosterona e agulhas no quarto de Pistorius.

O atleta biamputado, que disputa provas de corrida usando próteses curvas de fibra de carbono, começou a chorar quando Botha apresentou seu depoimento sobre a morte da modelo Reeva Steenkamp.

O crime e as acusações que vieram à tona na audiência sobre a fiança causaram perplexidade entre os sul-africanos e entre milhões de pessoas no mundo inteiro que viam o atleta como um exemplo de superação.

Nascido sem as fíbulas das duas pernas, Pistorius se destacou em provas paralímpicas e se tornou o primeiro biamputado a disputar uma competição olímpica de atletismo contra atletas sem deficiências, no ano passado.

Em uma declaração juramentada divulgada na terça-feira, Pistorius declarou que dormia com uma pistola 9 milímetros sob sua cama, e que a apanhou ao acordar no meio da noite, achando que um intruso havia entrado na casa pela janela do banheiro da suíte.

Ele disse que, em pânico, atirou então contra a porta do banheiro, achando que o intruso estava lá dentro.

Mas Botha contestou essa versão.   Continuação...

 
Pistorius fica em pé durante intervalo do julgamento na corte dos Magistrados de Pretória, África do Sul. Testemunhas escutaram "gritos incessantes" vindos da casa do atleta Oscar Pistorius na noite em que a namorada dele foi assassinada, disse nesta quarta-feira o detetive responsável pela investigação. 20/02/2013 REUTERS/Siphiwe Sibeko