21 de Fevereiro de 2013 / às 17:49 / 4 anos atrás

Gerdau tem lucro abaixo do esperado, reduz investimentos

Por Alberto Alerigi Jr.

SÃO PAULO, 21 Fev (Reuters) - A Gerdau, maior produtora de aços longos das Américas, anunciou nesta quinta-feira que irá cortar seu plano de investimento em 17 por cento, por conta do cenário econômico mundial incerto, depois de ter registrado no trimestre passado resultado abaixo do esperado pelo mercado.

A companhia registrou um tombo de 70 por cento no lucro líquido dos três últimos meses de 2012 sobre o mesmo período de 2011, para 143 milhões de reais. Estimativas de cinco analistas obtidas pela Reuters apontavam, em média, para resultado positivo de 242,6 milhões de reais.

O resultado da companhia foi impactado pela queda nas exportações do Brasil e recuo nas vendas na América do Norte, que responde por 30 por cento das vendas no exterior da companhia.

Pesou também sobre o balanço a piora no resultado financeiro negativo de 222 milhões de reais, refletindo o aumento da dívida bruta.

"O resultado não foi frustrante em termos operacionais, mas o lucro veio bem abaixo do esperado, por conta do resultado financeiro", disse o analista Aloisio Lemos, da Ágora Corretora, acrescentando que a ação da siderúrgica registrou forte queda recentemente.

"Trabalhamos com um cenário melhor para esse papel e possibilidade melhor de resultados nesse ano, mas (a Gerdau) está num setor complicado, cuja reação não vai ser tão rápida assim", afirmou Lemos. As ações da companhia avançavam cerca de 2,5 por cento nesta quinta, na contramão do mercado que recuava por conta de dados negativos nos Estados Unidos e na Europa.

A fraqueza no resultado dos negócios nos Estados Unidos no quarto trimestre "não é uma tendência para 2013", disse o vice-presidente financeiro da empresa, André Pires, em teleconferência com jornalistas . Ele, contudo, não fez projeções sobre as vendas em geral para este ano e para o comportamento de preços.

Depois de ter investido 3,1 bilhões de reais no ano passado, a empresa reduziu seu plano de investimento para os próximos anos. A empresa pretende investir 8,5 bilhões de reais até 2017, ante plano anterior de investimentos de 10,3 bilhões de reais até 2016.

A mudança "reflete o cenário econômico do mundo. Está adequado para os próximos 5 anos", disse o presidente da empresa, André Gerdau Johannpeter. A cifra, no entanto, não inclui eventuais aquisições.

Parte do plano de investimento são planos já anunciados de injeção de 500 milhões de reais na produção de minério de ferro até 2016, que devem elevar a capacidade da empresa para 18 milhões de toneladas. O executivo comentou que a Gerdau já realizou embarques ao mercado externo de 325 mil toneladas de minério de ferro.

Enquanto isso, a planta de perfis estruturais da companhia no México, projeto retomado em agosto, deve entrar em operação em meados de 2014, após investimentos de 600 milhões de dólares. A empresa também tem investido na Índia, onde inaugurou alto-forno de 350 mil toneladas anuais e um novo laminador de aços especiais. A empresa também espera abrir uma coqueria no país em 2014.

"Os investimentos são para vários objetivos, o plano foi adequado para os próximos cinco anos (...) os investimentos nos laminadores também pesavam bastante no plano anterior de cinco anos e agora nós não temos perspectiva de investimentos tão grandes em uma só localidade", disse Gerdau.

AÇOS PLANOS

A Gerdau está testando um laminador de bobinas a quente em sua usina Açominas desde o final do ano passado e espera iniciar a operação até o final deste trimestre. A capacidade é de 800 mil toneladas e a expectativa da empresa é vender até 400 mil toneladas em produtos planos em 2013.

"Estamos prevendo vender entre 300 mil e 350 mil toneladas, talvez 400 mil toneladas este ano. Boa parte vai ser exportada", disse Gerdau. Segundo ele cerca de 50 por cento das vendas de planos deverá ser destinada à exportação. Ele evitou comentar sobre volumes para 2014, mas afirmou que serão maiores que este ano.

Perguntado se a companhia poderia adotar uma estratégia de preços baixos para ingressar no segmento capturando participação ante as rivais Usiminas e CSN, Gerdau respondeu que o impacto da entrada da empresa no segmento de planos em 2013 "será pequeno".

Sobre chapas grossas, Gerdau informou que a empresa deve iniciar a produção no Brasil dentro de dois anos, a uma capacidade de 1,1 milhão de toneladas.

RESULTADO

A Gerdau produziu 12 por cento menos aço bruto no quarto trimestre, num total de 4,19 milhões de toneladas. Enquanto isso, as vendas em volume recuaram 8 por cento, a 4,32 milhões de toneladas.

Segundo a empresa, a queda nas vendas foi pressionada por recuo de 26 por cento nas exportações de suas operações no Brasil por causa de preços baixos no mercado internacional. Enquanto isso, a divisão da América do Norte sofreu queda de 15 por cento nas vendas, enquanto a área de aços especiais teve retração de 13 por cento, em meio à fraqueza no mercado de caminhões brasileiro no ano passado e da crise que atinge a Espanha.

Apesar disso, o faturamento líquido da companhia recuou apenas 1 por cento no quarto trimestre na comparação anual, para 8,988 bilhões de reais, apoiada por maior receita líquida por tonelada vendida no Brasil e na América Latina.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below