Divergências no Fed sobre compra de ativos agitam mercados

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013 20:58 BRT
 

Por Jonathan Spicer e Ann Saphir

NOVA YORK/DALLAS, 21 Fev (Reuters) - Duas autoridades de alto escalão do Federal Reserve, banco central norte-americano, sinalizaram apoio a uma redução gradual do programa agressivo de compra de ativos pela instituição, esquentando ainda mais um debate sobre por quanto tempo o Fed deve continuar com suas medidas extraordinárias para apoiar a economia.

Mas enquanto os presidentes regionais do Fed de St. Louis, James Bullard, e de Dallas, Richard Fisher, apoiando o argumento que favorece um maior aperto na política monetária, outro membro da instituição, conhecido por sua postura menos agressiva de combate à inflação, disse que o Fed deve continuar comprando bônus até pelo menos o segundo semestre deste ano.

As mais recentes declarações das autoridades do Fed reforçaram as evidências de divisões de longa data entre os 19 membros do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) da instituição.

Os pronunciamentos surgem em um momento em que investidores estão cada vez mais sensíveis a sinais de alterações na política econômica, e após a divulgação de dados nesta quinta-feira que indicaram que a economia norte-americana continua a enfrentar dificuldade para recuperar forças.

Os mercados financeiros estão alvoroçados com especulações sobre por quanto tempo o BC norte-americano vai continuar com seu programa de compra de ativos em um ritmo mensal de 85 bilhões de dólares. A compra de ativos pelo Fed resultou em uma enxurrada de liquidez que alimentou a demanda por ativos de maior risco em meio a um clima de taxas de juros ultrabaixas.

O índice Standard & Poor's 500 já subiu mais de 5 por cento neste ano e está operando perto de suas máximas em cinco anos. Os preços dos títulos do Tesouro dos EUA também foram ajudados pela compra de ativos, e a percepção de que são um porto seguro também tem sustentado os preços mesmo com o surgimento de dúvidas sobre por quanto tempo a aquisição de bônus continuará.

Fisher, que não tem direito a voto no Fomc neste ano, afirmou em entrevista à Reuters nesta quinta-feira que o Fed pode precisar reduzir o programa de compra de bônus, em vez de interrompê-lo imediatamente.

"Você afunila aos poucos", disse Fisher à Reuters em entrevista. "Se a economia continuar melhorando, eu pessoalmente esperaria que isso ocorresse em algum período neste ano", completou.   Continuação...