Dívida pública federal poderá chegar a R$2,24 tri este ano

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013 23:16 BRT
 

Por Tiago Pariz

BRASÍLIA, 21 Fev (Reuters) - O governo federal terá que emitir 412,6 bilhões de reais neste ano em títulos públicos para financiar a dívida pública federal, que deverá chegar ao fim do ano entre 2,10 trilhões e 2,24 trilhões de reais, de acordo com o Plano Anual de Financiamento divulgado nesta quinta-feira pelo Tesouro Nacional.

Os vencimentos da dívida pública interna somam este ano 493,2 bilhões de reais e, além de novas emissões, o governo prevê utilizar 131,2 bilhões de reais de recursos orçamentários para honrar esses compromissos.

De acordo com o documento, o Tesouro tem em caixa o equivalente a cerca de 5 meses de vencimentos de principal e juros da dívida, que poderão ser utilizados caso encontre "condições de mercado extremamente adversas" para a colocação de papéis no mercado.

O Tesouro também já comprou dólares para honrar os compromissos da dívida externa dos dois próximos anos, segundo o relatório. Neste ano, vencem o equivalente a 10,7 bilhões de reais em dívida externa mobiliária e contratual.

PERFIL DA DÍVIDA

A estratégia de financiamento para este ano prevê o alongamento do prazo médio da dívida para uma faixa entre 4,1 e 4,3 anos, ante 4 anos em 2012, e a troca gradual dos títulos indexados à Selic por prefixados e remunerados por índices de preços.

De acordo com o PAF, a parcela da dívida atrelada à inflação deve ficar entre 34 e 37 por cento este ano, conta 33,9 por cento em 2012. Já a prefixada deverá subir dos atuais 40 por cento, para entre 41 e 45 por cento neste ano.

Com isso, o Tesouro quer reduzir a participação dos títulos indexados à taxa de Selic -- as Letras Financeiras do Tesouro (LFTs)--, para entre 14 por cento e 19 por cento do estoque da dívida. No fim de 2012, esses papéis respondiam por 21,7 por cento do total da dívida mobiliária federal.   Continuação...