Chefe de segurança do Iêmen escapa de ataque; três morrem no sul

sábado, 23 de fevereiro de 2013 14:30 BRT
 

ADEN, Iêmen, 23 Fev (Reuters) - Um chefe de segurança do Iêmen sobreviveu a uma tentativa de assassinato neste sábado no sul do país, onde três pessoas foram mortas em combates entre suas forças e separatistas.

O Ministério da Defesa afirmou que Abdulwahab al-Wali, chefe das forças centrais de segurança, escapou do ataque de um atirador desconhecido na cidade de Mukalla, mas dois de seus guarda-costas foram feridos.

O sul do Iêmen, que é um Estado independente desde 1990, sofre com ataques separatistas e por uma insurgência liderada por militantes islâmicos ligados a AL Qaeda, uma fonte de preocupação para os Estados do Golfo e para o Ocidente.

Wali sobreviveu a uma tentativa de assassinato no ano passado, uma de uma série de ataques a líderes militares, políticos, de milícias e autoridades. Muitos desses ataques foram atribuídos aos islâmicos, mas as autoridades não disseram se qualquer grupo era suspeito pelos disparos deste sábado.

Em outros casos, fontes médicas e de segurança afirmaram que três pessoas foram mortas e 14 feridas em conflitos entre forças de segurança do Iêmen e separatistas no sul.

Líderes separatistas convocaram um dia de desobediência civil nas principais cidades e vilarejos do sul depois da morte de seis pessoas durantes protestos na quinta-feira.

O movimento ressurgente para um Estado do sul do Iêmen agravou a instabilidade política no país da península Árabe, onde Washington teme que o caos político esteja dando espaço para a al Qaeda operar.

Lojas, padarias e escolas foram fechadas em muitas cidades do sul e o transporte foi paralisado depois que rodovias foram bloqueadas com pedras e pneus em chamas, segundo testemunhas. Muitos funcionários do governo não apareceram para trabalhar.

(Reportagem de Mohammed Mukhashaf)

 
Policiais caminham em meio a conflitos com separatistas na cidade de Mukalla, sul do Iêmen. Um chefe de segurança do Iêmen sobreviveu a uma tentativa de assassinato neste sábado no sul do país, onde três pessoas foram mortas em combates entre suas forças e separatistas. 23/02/2013 REUTERS/Stringer