Pistorius deve viver com sua consciência, diz o pai da namorada assassinada

sábado, 23 de fevereiro de 2013 15:21 BRT
 

JOHANNESBURGO, 23-fev (Reuters) - O astro paraolímpico sul-africano Oscar Pistorius terá de viver com sua consciência depois de atirar e matar sua namorada e dizer que foi um erro trágico, teria dito o pai da vítima, Barry Steenkamp, à mídia local.

O atleta disparou e matou a modelo e estudante de direito Reeva Steenkamp em sua casa em um condomínio de luxo próximo a Pretoria na madrugada do último dia 14 de fevereiro. Ele foi acusado de premeditar o crime.

Pistorius disse ter confundido Steenkamp com um invasor.

"Não importa quanto dinheiro ele tenha nem quão boa seja sua equipe de advogados, ele terá de viver com sua consciência se ele permitir-lhes dizer mentiras a seu favor," disse Barry Steenkamp ao jornal sul-africano Beeld.

"Mas se ele disser a verdade talvez eu possa perdoá-lo um dia. Se isso não aconteceu da maneira que ele disse, ele merece sofrer e ele vai sofrer... somente ele sabe."

Foi concedida uma fiança a Pistorius na sexta-feira após seus advogados alegarem que o "Blade Runner" era muito famoso para fugir da justiça.

Enquanto isso, a família de Pistorius se distanciou com um tweet na conta do irmão do atleta no sábado, agradecendo ao apoio do público a ambas as famílias.

Um porta-voz da família disse que a conta havia sido hackeada. Eles disseram que o irmão e a irmã de Pistorius iriam cancelar suas contas nas redes sociais.

A prisão de Pistorius atordoou milhões de pessoas que tinham visto o atleta paraolímpico chegar às semifinais dos 400 metros rasos nas Olimpíadas de Londres no ano passado.

Mas o impacto foi maior na África do Sul, onde ele é considerado um raro herói entre negros e brancos, transcendendo a barreira racial que persiste após 19 anos do fim do apartheid. (Reportagem por Olivia Kumwenda)

 
Oscar Pistorius aguarda retomada dos procedimentos na corte dos Magistrados de Pretória, África do Sul. O astro paraolímpico sul-africano Oscar Pistorius terá de viver com sua consciência depois de atirar e matar sua namorada e dizer que foi um erro trágico, teria dito o pai da vítima, Barry Steenkamp, à mídia local. 21/02/2013 REUTERS/Siphiwe Sibeko