Partidos italianos buscam solução para impasse eleitoral

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013 19:28 BRT
 

Por James Mackenzie e Naomi O'Leary

ROMA, 26 Fev (Reuters) - Os partidos políticos italianos buscam nesta terça-feira algum tipo de acordo, depois de uma eleição em que nenhum deles conseguiu maioria parlamentar, abrindo a possibilidade de uma prolongada instabilidade e de uma nova crise financeira europeia.

Os resultados, e especialmente a impressionante ascensão do partido alternativo Movimento 5 Estrelas, do comediante Bepe Grillo, deixaram a coalizão de centro-esquerda com maioria na Câmara, mas sem o controle do Senado.

Os mercados financeiros despencaram por causa do risco de um impasse, o que reacendeu as lembranças da crise financeira que levou os custos da dívida italiana a níveis insustentáveis e deixou a zona do euro à beira de um colapso em 2011.

"O vencedor é: a ingovernabilidade", foi a manchete do jornal romano Il Messaggero, refletindo o impasse que o país terá de confrontar nas próximas semanas, quando inimigos jurados precisarão cooperar na formação de um governo.

A agência de classificação de risco Standard & Poor's disse nesta terça-feira que as escolhas políticas do próximo governo da Itália serão cruciais para a credibilidade do país, destacando a necessidade de uma coalizão que possa estar de acordo com novas reformas.

O líder do Partido Democrático (PD, centro-esquerda), Pier Luigi Bersani, tem a difícil tarefa de tentar formar uma "grande coalizão" com o ex-premiê Silvio Berlusconi, a quem ele culpa por ter arruinado a Itália, ou selar um acordo com Grillo, uma completa incógnita na política italiana.

A alternativa a isso seriam novas eleições, imediatamente ou daqui a alguns meses, embora Berlusconi e Bersani já tenham declarado se opor a isso. "A Itália não pode ser desgovernada, e precisa refletir", disse Berlusconi em entrevista à sua própria rede de TV.

Já Grillo, cujo movimento obteve mais votos individualmente do que qualquer outro partido, já disse que não acredita que o próximo governo dure mais do que seis meses.   Continuação...

 
Uma autoridade eleitoral corta cédulas em uma seção eleitoral em Roma, Itália. Os partidos políticos italianos buscam nesta terça-feira algum tipo de acordo, depois de uma eleição em que nenhum deles conseguiu maioria parlamentar, abrindo a possibilidade de uma prolongada instabilidade e de uma nova crise financeira europeia. 25/02/2013 REUTERS/Yara Nardi