Após se reunir com Dilma, Cid Gomes ataca ex-presidente Fernando Henrique

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013 19:16 BRT
 

BRASÍLIA, 26 Fev (Reuters) - Após se reunir com a presidente Dilma Rousseff, o governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), saiu em defesa da petista nesta terça-feira, dizendo que ela não tem que agradecer por nada ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que afirmou na segunda-feira que Dilma era "ingrata" ao não reconhecer a herança do governo do PSDB para o país.

"Se o Fernando Henrique tivesse feito algum favor a Dilma, ele teria algum motivo para dizer que ela é ingrata. Mas qual foi o favor que o Fernando Henrique fez a Dilma? Nenhum", disse Cid aos jornalistas ao sair da reunião com a presidente.

A declaração de Fernando Henrique foi uma resposta ao discurso da presidente na semana passada, quando o PT festejou 33 anos de fundação e dez anos no comando do governo federal. Na ocasião, Dilma afirmou que o governo petista não havia "herdado" nada dos tucanos e que o PT teve que "construir" tudo.

Para Cid, Dilma não tem porque agradecer aos tucanos também porque assumiu depois do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e, portanto, foi essa herança que recebeu. Ele aproveitou para criticar a gestão do PSDB no governo federal.

"Vamos fazer um esforço de memória? O Lula encontrou o Brasil com FMI (Fundo Monetário Internacional), ninguém podia fazer nada sem pedir permissão ao FMI, a dívida do país num patamar dos mais elevados da nossa história e o patrimônio do país reduzido a um terço... Se a herança que ele (Fernando Henrique) diz é essa, me perdoe, mas ele devia... esquecer um pouco", argumentou o governador cearense.

A troca de farpas entre governo e oposição tem aumentado nas últimas semanas desde que a presidente começou a preparar seu projeto de reeleição, conversando com partidos aliados e pedindo apoio para 2014, levando a oposição a também antecipar sua estratégia para a disputa eleitoral.

CIRO

Cid também afirmou que não está trabalhando a pedido de Dilma contra a possível candidatura ao Palácio do Planalto do presidente da sua legenda, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos.

"Isso é procurar chifre em cabeça de cavalo", disse Cid, que publicamente defende que o PSB apoie a reeleição de Dilma em 2014 e deixe o projeto de candidatura própria para 2018, ou ainda assuma o lugar de vice-presidente na próxima eleição, substituindo o PMDB. Essa hipótese já foi rejeitada pelos peemedebistas.   Continuação...