Governo eleva prazo e taxa de retorno nas concessões de ferrovias

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013 17:24 BRT
 

Por Tiago Pariz e Leonardo Goy

BRASÍLIA, 27 Fev (Reuters) - O governo anunciou nesta quarta-feira a elevação da taxa de retorno para acionistas e a ampliação do prazo de concessão das ferrovias, em um esforço para atrair investidores para o ambicioso plano de logística do país, e prometeu novas medidas para melhorar o acesso a financiamentos e reduzir o custo dos investimentos.

O aumento da taxa de retorno é uma resposta do governo às críticas do mercado, que considerou as condições iniciais do pacote de logística pouco atrativas.

A taxa de retorno dos acionistas das novas concessões de ferrovias ficará entre 9,3 e 12,5 por cento, disse o secretário-executivo do Ministério da Fazenda, Nelson Barbosa. De acordo com cálculos do governo e do mercado, a taxa de retorno anterior girava em torno de 8 e 9 por cento ao ano.

A chamada taxa de retorno do acionista é a que remunera o capital próprio aplicado pelo sócio do projeto, ou seja, exclui a parte do investimento que será financiada pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

"São poucos projetos que oferecem uma taxa real de retorno nesse nível no mundo de hoje. Os projetos são altamente rentáveis", afirmou Barbosa durante apresentação no Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, no Palácio do Planalto.

Barbosa também anunciou que o prazo máximo das concessões de ferrovias foi ampliado de 30 para 35 anos.

A taxa de retorno oferecida nas concessões de rodovias já havia sido elevada para entre 9 a 15 por cento, e o prazo ampliado de 25 para 30 anos.

"O desafio mais iminente é estimular o crescimento e a competitividade ao mesmo tempo", disse Barbosa.   Continuação...