BC acompanhará evolução macroeconômica para avaliar medidas, diz Tombini

terça-feira, 2 de abril de 2013 14:41 BRT
 

Por Tiago Pariz

BRASÍLIA, 2 Abr (Reuters) - O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, reforçou o discurso de que está acompanhando a evolução do cenário macroeconômico para avaliar a necessidade de adotar medidas, mas lembrou que a política monetária "já está sendo ajustada".

"Desde janeiro, a política monetária, pelo lado da comunicação, está mudando, já mudou. E isso já se refletiu nas condições financeiras e monetárias", disse ele nesta terça-feira em audiência na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) no Senado.

A taxa de juros média cobrada em operações de crédito com recursos livres subiu 1,1 ponto percentual nos dois primeiros meses do ano mesmo com a Selic inalterada, lembrou Tombini.

Ele citou que as condições financeiras do mercado se alteraram desde janeiro, quando o BC mostrou mais preocupação com a inflação, mas reiterou que nenhum instrumento de política monetária foi retirado da mesa. Segundo ele, O BC usará esses mecanismos para atacar a inflação quando e se achar necessário.

O mercado acredita que o BC elevará a Selic --hoje na mínima histórica de 7,25 por cento ao ano-- apenas em maio, e não na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), em abril.

"Por isso, vamos fazer a avaliação no curto e médio prazo para preparar que a convergência (da inflação para o centro da meta) se processe de forma expressiva nesse período relevante", disse o presidente do BC.

Ele citou como exemplo o fechamento de março do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que será divulgado na próxima semana. A meta de inflação é de 4,5 por cento, com margem de dois pontos percentuais para mais ou menos.

Em março, o BC retirou de seu comunicado sobre a Selic a indicação de que ela ficaria estável por um tempo "suficientemente prolongado" e passou a dizer que a política monetária será conduzida com "cautela".   Continuação...