Brasil pede esclarecimentos aos EUA após denuncia de espionagem--Patriota

domingo, 7 de julho de 2013 15:58 BRT
 

SÃO PAULO, 7 Jul (Reuters) - O governo da presidente Dilma Rousseff pediu esclarecimentos aos Estados Unidos sobre a suposta espionagem de comunicações eletrônicas e telefônicas de empresas e cidadãos brasileiros pela Agência Nacional de Segurança (NSA, na sigla em inglês) norte-americana.

"Recebemos com grave preocupação a notícia de que as comunicações eletrônicas e telefônicas de cidadãos brasileiros estariam sendo objeto de espionagem por órgãos de inteligência norte-americanos", disse o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, em comunicado.

O governo acionou os EUA através da embaixada do Brasil em Washington, e do embaixador norte-americano no Brasil.

O anúncio veio após uma reportagem do jornal O Globo deste domingo, citando documentos fornecidos pelo ex-funcionário de inteligência da NSA Edward Snowden, revelar um amplo esquema de monitoramento por parte da agência norte-americana.

O ministro disse ainda que promoverá no âmbito da União Internacional de Telecomunicações (UIT), em Genebra, o aperfeiçoamento de regras multilaterais sobre segurança das telecomunicações.

Além disso, o governo brasileiro lançará na Organização das Nações Unidas (ONU) "iniciativas com o objetivo de proibir abusos e impedir a invasão da privacidade dos usuários das redes virtuais de comunicação, estabelecendo normas claras de comportamento dos Estados na área de informação e telecomunicações para garantir segurança cibernética que proteja os direitos dos cidadãos e preserve a soberania de todos os países".

(Por Laiz de Souza)

 
Foto de arquivo do ministro das Relações Exteriores do Brasil, Antonio Patriota, no Senado federal, em Brasília. O governo da presidente Dilma Rousseff pediu esclarecimentos aos Estados Unidos sobre a suposta espionagem de comunicações eletrônicas e telefônicas de empresas e cidadãos brasileiros pela Agência Nacional de Segurança (NSA, na sigla em inglês) norte-americana. 04/04/2013 REUTERS/Ueslei Marcelino