Ataques contra mulheres em Colônia na festa do Ano Novo abalam Alemanha

terça-feira, 5 de janeiro de 2016 18:43 BRST
 

Por Madeline Chambers

BERLIM (Reuters) - Cerca de 90 mulheres relataram ter sido roubadas, ameaçadas ou importunadas sexualmente nas celebrações de Ano Novo do lado de fora da catedral de Colônia, na Alemanha, por homens jovens, a maioria bêbados, disse a polícia nesta terça-feira, em incidentes que descreveram como “uma nova dimensão em crime”.

Wolfgang Albers, chefe da polícia de Colônia, disse à imprensa que policiais descreveram que os homens tinham aparência de quem era da “região árabe ou norte da África”, e a maioria tinha idade entre 18 e 35 anos.

“Tivemos uma reclamação que representa um estupro”, acrescentou.

Aydan Ozoguz, a responsável por integração no governo alemão, alertou contra se colocar estrangeiros e refugiados, dos quais centenas de milhares entraram na Alemanha principalmente de zonas de guerra do Oriente Médio, sob “suspeita geral”.

A chanceler Angela Merkel expressou choque diante dos ataques que a polícia disse que ocorreram quando cerca de mil homens se dividiram em gangues ao mesmo tempo que policiais agiam numa praça para impedir que fogos de artifício fossem jogados do topo da escada na multidão abaixo.

Enquanto políticos também pediram que as pessoas não se tornem receosas com todos os refugiados, o incidente alimentou as reivindicações de grupos de direita para que se pare de receber migrantes.

A Alemanha acolheu um pouco mais de 1 milhão no ano passado, bem mais do que qualquer outro país europeu.

A prefeita de Colônia, Henriette Reker, disse que era “inacreditável e intolerável o que havia acontecido no Ano Novo”, mas que não havia razão para se acreditar que os envolvidos no ataque eram refugiados.   Continuação...

 
Mulheres protestam na frente da catedral de Colônia, na Alemanha 5/1/2016 REUTERS/Wolfgang Rattay