4 de Novembro de 2012 / às 12:26 / 5 anos atrás

Eleitoras mulheres ajudaram Obama antes, mas podem atrapalhar agora?

Partidários do presidente dos EUA, Barack Obama, enfrentam noite gelada durante comício em Bristow, Virgínia, EUA. Mulheres ajudaram a colocar Barack Obama na Casa Branca em 2008, mas o entusiasmo debilitado delas por ele refletido nas últimas pesquisas criou incerteza sobre quem iria ficar com os votos femininos na eleição de terça-feira. 03/11/2012 REUTERS/Jason Reed

Por Patricia Zengerle

WASHINGTON, 4 Nov (Reuters) - Mulheres ajudaram a colocar Barack Obama na Casa Branca em 2008, mas o entusiasmo debilitado delas por ele refletido nas últimas pesquisas criou incerteza sobre quem iria ficar com os votos femininos na eleição de terça-feira.

Há quatro anos, as eleitoras mulheres apoiaram Obama sobre o republicano John McCain por 56 por cento a 43 por cento. Entre os eleitores homens, o democrata liderou McCain por apenas 49 por cento a 48 por cento.

Mas o entusiasmo das mulheres por Obama como presidente diminuiu este ano, dificultando seu caminho para a reeleição. Ele tem um pouco mais de chance de ganhar o voto feminino, mas em várias pesquisas nacionais a liderança do presidente sobre o republicano Mitt Romney entre as prováveis eleitoras diminuiu.

Números divulgados na semana passada pela pesquisa Reuters/Ipsos mostrava que a sua liderança era de apenas 5 pontos percentuais. Entre os eleitores masculinos, era de cerca de 6 pontos.

Os republicanos dizem que Romney começou a conquistar os votos femininos desde sua forte performance no primeiro debate eleitoral em 3 de outubro.

Marguerite Hunsinger, de 59 anos, da Flórida, que estava indecisa, disse que o debate a fez mudar para o campo de Romney.

“Eu era muito, muito cética sobre Romney”, disse Marguerite, uma dona-de-casa. “E eu simplesmente achei que ele agiu de maneira muito presidenciável e capaz, e eu concordei mais com as respostas dele”.

Em contraste, ela disse que Obama “parecia adormecido... a impressão era a de que ele não estava lá”.

O lado de Romney acusa os democratas de serem condescendentes com as mulheres ao enfatizarem questões como a contracepção, quando as pesquisas mostram que homens e mulheres se preocupam mais com empregos e a economia.

Os democratas destacam que Obama continua a ter uma liderança significativa entre as mulheres nos Estados decisivos, e dizem que o voto feminino o ajudará a obter a vitória.

Mulheres formam mais da metade do eleitorado norte-americano, e nas eleições presidenciais há cerca de 7 por cento a mais de votos femininos do que de masculinos.

‘QUESTÕES FEMININAS’ AJUDAM OBAMA

Os democratas insistem que Obama supera Romney em muitas questões importantes para as eleitoras mulheres, de sistema de saúde à educação, salários iguais e impostos justos.

Evelyn Miranda, de 47 anos, Flórida, disse que estava indecisa, mas que recentemente decidiu apoiar Obama por causa de sua postura em questões sociais e sua insistência para que os ricos paguem impostos mais altos.

“Ele quer taxar mais as pessoas que fazem mais dinheiro. Eu realmente apoio bastante isso”, disse ela.

Miranda, artista e professora, também disse que se preocupava com a chance de os republicanos proibirem o aborto, uma posição com a qual discorda, após ter tido contato com estudantes que sobreviveram ao abuso sexual.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below