SAIBA MAIS-Propostas de Obama e Romney para estimular a economia dos EUA

segunda-feira, 5 de novembro de 2012 16:56 BRST
 

5 Nov (Reuters) - A saúde da economia norte-americana foi central na campanha pela Casa Branca. Tanto o presidente Barack Obama quanto o candidato republicano, Mitt Romney, tentam convencer os eleitores de que têm um plano para estimular o crescimento rápido e a criação de empregos.

A economia tem apresentado dificuldades para romper o ritmo de crescimento anual para acima de 2 por cento desde a recessão de 2007-2009, e o desemprego permanece alto, em 7,9 por cento.

Cerca de 23 milhões de norte-americanos estão desempregados, trabalhando apenas meio período, embora buscando um trabalho de período integral, ou querem um emprego, mas desistiram de procurar por um.

Abaixo estão os principais planos de Obama e de Romney para a economia:

EMPREGOS

Obama diz que seu plano para os empregos fortalecerá a indústria norte-americana, estimulará os pequenos negócios, melhorará a qualidade da educação e tornará o país menos dependente do petróleo estrangeiro. Ele prevê a criação de 1 milhão de empregos novos na indústria até 2016 e mais de 600 mil empregos no setor de gás natural, assim como a contratação de 100 mil professores de ciências e matemática.

O conserto e a substituição de estradas, pontes, passarelas e escolas antigas são parte desse plano para colocar os norte-americanos de volta no trabalho. Metade do dinheiro economizado com o término das guerras no Iraque e no Afeganistão será usada para financiar projetos de infraestrutura.

Romney prometeu criar 12 milhões de empregos em seu primeiro mandato, ou seja, cerca de 250 mil empregos por mês. Os economistas dizem que a economia provavelmente vai gerar essa quantidade de empregos de qualquer forma.

O plano dele concentra-se na reforma tributária, levando a economia em direção à independência energética, cortando as regulamentações e estimulando o comércio, em especial reduzindo as barreiras comerciais com a China.   Continuação...