Inundação na Nigéria mata 363 pessoas e deixa 2,1 milhões desabrigados

segunda-feira, 5 de novembro de 2012 17:32 BRST
 

ABUJA, 5 Nov (Reuters) - A pior inundação a atingir a Nigéria em pelo menos meio século já matou 363 pessoas desde o início de julho, e desalojou 2,1 milhões de pessoas, disse uma agência de emergências nesta segunda-feira.

O país africano frequentemente sofre com inundações sazonais após fortes chuvas tropicais, mas a escala da devastação deste ano chocou as pessoas, e imagens de vilas e cidades inteiras submersas ocuparam as telas das TVs.

O presidente do país, Goodluck Jonathan, disse no mês passado que a inundação é um "desastre nacional", mas afirmou que ela não desencadearia uma crise alimentar.

A Agência Nacional de Gerenciamento de Crise afirmou em um comunicado nesta segunda-feira que, entre 1 de julho e 31 de outubro, 7,7 milhões de pessoas haviam sido afetadas pela inundação.

Segundo a Agência, 363 pessoas morreram e 18.282 foram feridas.

Da pantanosa região petrolífera ao sul até a arenosa base do Sahel mais ao norte, os 160 milhões de habitantes da Nigéria estão espalhados por uma região com o dobro da extensão do Estado norte-americano da Califórnia.

Inundações na rica região petrolífera do Delta do Rio Niger, onde o terceiro maior rio africano deságua no Oceano Atlântico, têm atrapalhado a produção de cerca de 500 mil barris de petróleo por dia (bpd) -mais de um quinto da produção nigeriana- segundo dados do Departamento de Recursos Petrolíferos.

Um órgão da indústria de cacau afirmou no mês passado que a produção da commodity deve ficar bem abaixo da meta de 300 mil toneladas devido à chuva excessiva.

(Reportagem de Joe Brock)