Fotos indicam que polícia "plantou" armas em mineiros sul-africanos

terça-feira, 6 de novembro de 2012 19:42 BRST
 

Por Jon Herskovitz

JOHANESBURGO, 6 Nov (Reuters) - Um inquérito que investiga a morte de 34 mineiros em agosto na África do Sul, no mais grave incidente de segurança no país desde o fim do apartheid, teve acesso a fotos que sugerem que a polícia colocou armas junto aos cadáveres para justificar sua ação.

Nas fotos, tiradas logo depois do confronto de 16 de agosto, pelo menos dois trabalhadores são vistos sem armas ao seu lado. Em fotos tiradas mais tarde, há várias armas, inclusive lanças e um facão, depositadas ao lado dos cadáveres.

As fotos, apresentadas nesta semana pela polícia ao inquérito, foram obtidas na terça-feira pela Reuters.

O advogado George Bizos, que já defendeu Nelson Mandela e agora representa familiares das vítimas, disse as fotos geram fortes suspeitas de que houve "uma tentativa deliberada de derrotar as finalidades da justiça".

O capitão de polícia Apollo Mohlaki, que investigou a cena do crime, disse à comissão que não tem "a mínima ideia" de como as armas podem ter ido parar numa área que estava isolada pelas autoridades.

Um advogado da polícia disse à comissão que o assunto está sendo investigado, e sugeriu que paramédicos poderiam ter pedido que as armas fossem retiradas para que eles fizessem seu trabalho.