7 de Novembro de 2012 / às 03:42 / 5 anos atrás

Obama ganha força contra Romney; foco está voltado para Ohio

Por Steve Holland e John Whitesides

WASHINGTON, 7 Nov (Reuters) - O presidente norte-americano, Barack Obama, venceu em Wisconsin e Pensilvânia na terça-feira e limitou a trajetória de seu rival Mitt Romney em direção à vitória, enquanto os eleitores dos Estados Unidos escolhiam entre duas visões completamente diferentes para o país.

As vitórias de Obama nos dois Estados aumentaram a pressão para Romney ganhar em Ohio, Flórida e Virginia, três campos de batalha onde a corrida estava muito acirrada para poder fazer uma previsão.

Pelo menos 120 milhões de pessoas eram esperadas para decidir entre o democrata e Romney após uma longa, cara e amarga campanha presidencial centrada em como reparar a economia em crise dos Estados Unidos.

Na batalha Estado por Estado para conseguir os 270 votos do Colégio Eleitoral necessários para a presidência, Obama e Romney acumularam as primeiras vitórias já previstas em alguns Estados.

Os democratas ficaram animados pelos primeiros resultados em Ohio e Flórida, com uma ligeira vantagem para o presidente. O republicano Romney estava ligeiramente à frente num terceiro Estado-chave, a Virgínia.

Romney precisa vencer nos três para chegar à presidência, enquanto Obama pode se dar ao luxo de perder em um ou dois deles.

As chances do republicano foram afetadas pelas vitórias de Obama em Wisconsin e Pensilvânia, assim como em New Hampshire. Na semana passada, Romney visitou Wisconsin, Estado de origem de seu vice na chapa presidencial, Paul Ryan, e parou na Pensilvânia nesta terça-feira na esperança de conseguir uma vitória surpresa.

Em outra vitória que também limitou o caminho de Romney, Obama ganhou no Michigan, Estado de nascimento do republicano, mas onde entrou em conflito com os eleitores, opondo-se ao resgate de Obama à indústria automobilística. Algumas pesquisas mostraram uma disputa acirrada no Estado.

Pelo sistema eleitoral norte-americano, o presidente é eleito por um Colégio Eleitoral com 538 delegados. Cada Estado envia um número fixo de delegados ao Colégio, proporcional à sua representação no Congresso, e em quase todos os Estados o vencedor local leva todos os delegados, independentemente da margem de votos sobre o segundo colocado.

Por isso, a eleição acaba sendo decidida em um punhado de Estados onde é impossível prever o resultado de antemão --eles são chamados de "Estados-chave".

As redes de TV projetaram Romney como vencedor, conforme se esperava, no Alabama, Tennessee, Mississippi, Kentucky, Virgínia Ocidental, Oklahoma, Carolina do Sul e Indiana. Também foi declarado vencedor em Texas, Kansas, Louisiana, Nebraska, Dakota do Norte e Dakota do Sul.

Obama é apontado como vencedor em redutos democratas tradicionais: Nova York, Nova Jersey, Maryland, Vermont, Connecticut, Delaware, Massachusetts e seu Estado adotivo, Illinois, além do Distrito de Columbia (onde fica Washington, a capital).

Obama promete elevar impostos para os mais ricos, enquanto Romney propõe uma desoneração tributária generalizada, como forma de estimular a retomada do crescimento econômico.

O candidato eleito deverá decidir também os rumos dos Estados Unidos nos próximos quatro anos em questões como gastos públicos, saúde, tamanho do Estado, comércio com a China e as ambições nucleares do Irã.

Antes da eleição, as pesquisas mostravam virtual empate entre Obama e Romney, mas Obama tinha uma ligeira vantagem em vários Estados-chave, principalmente Ohio, o que lhe pode dar os 270 votos eleitorais necessários.

Na pesquisa Reuters/Ipsos no dia da eleição, um em cada três eleitores obamistas dizia que a economia é a questão mais importante para eles, e metade dos eleitores de Romney expressava essa opinião.

A saúde era a segunda questão mais importante para os apoiadores do democrata, enquanto o orçamento estava em segundo lugar para os eleitores do republicano. O desemprego estava em terceiro para ambos.

Três quartos dos eleitores de ambos os candidatos disseram ter decidido seu voto antes dos três debates de outubro, segundo a pesquisa.

A campanha de Romney ficou entusiasmada pelo forte comparecimento às urnas em áreas republicanas da Flórida ao Colorado.

Romney fez visitas de última hora a Ohio e Pensilvânia, na terça-feira, para tentar estimular o comparecimento. Já o vice-presidente Joe Biden foi despachado para Ohio, enquanto Obama permaneceu em Chicago, sua base política.

O equilíbrio de poder no Congresso também está em jogo nas corridas para o Senado e a Câmara dos Deputados que podem afetar o resultado das negociações sobre corte de gastos e aumento de impostos.

As projeções indicam que os democratas de Obama vão manter por pouco a sua maioria no Senado, enquanto os republicanos de Romney devem manter o controle da Câmara.

Reportagem adicional de Jeff Mason, em Chicago; de Patricia Zengerle, em Boston; de Edith Honan, em Nova York; de Brendan O'Brien, em Milwaukee; de Dave Warner, na Filadélfia; de Philip Barbara, em Nova Jersey; de Matt Spetalnick, Lisa Lambert, Susan Heavey, Thomas Ferraro, Susan Cornwell, Anna Yukhananov e Roberta Rampton, em Washington

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below