Apesar de revés eleitoral, Tea Party mantém influência nos EUA

quinta-feira, 8 de novembro de 2012 12:26 BRST
 

Por Richard Cowan

WASHINGTON, 8 Nov (Reuters) - Os candidatos do movimento conservador Tea Party atrapalharam os esforços do Partido Republicano para conquistar o controle do Senado dos EUA, mas o grupo deve manter nos próximos anos sua influência em Washington a respeito de questões fiscais, mas não sociais, disseram especialistas na quarta-feira.

Se não fosse pelo mau desempenho de alguns candidatos a senador apoiados pelo Tea Party nas eleições de 2010 e 12, o Partido Republicano poderia ter maioria no Senado. Na eleição de terça-feira, Todd Akin, do Missouri, e Richard Mourdock, em Indiana, simbolizaram a derrocada do Tea Party, como já ocorrera em 2010 com Sharron Angle (Nevada) e Christine O'Donnell (Delaware).

Enquanto isso, na Câmara, a líder da bancada do Tea Party, Michelle Bachmann, escapou por pouco de não ser derrotada, mas colegas seus como Allen West e Joe Walsh não tiveram a mesma sorte.

"O Tea Party acabou", celebrou o Comitê de Campanha Parlamentar Democrata. Mas a declaração pode ter sido precipitada, já que os republicanos dão todos os sinais de que irão manter seus esforços para impedir a elevação de impostos, inclusive para os ricos, e limitar os gastos públicos - filosofias centrais que o partido partilha com o Tea Party.

Na terça-feira, após a confirmação de que o democrata Barack Obama havia sido reeleito presidente e de que o partido dele ampliara a maioria no Senado, o presidente da Câmara, o republicano John Boehner, proclamou que Obama não tem mandato para elevar os impostos dos ricos.

Os republicanos, que já haviam conquistado maioria na Câmara dos Deputados em 2010, graças a expressivas vitórias do Tea Party, conseguiram preservar o controle da Casa.

Assim, quando se trata de questões orçamentárias e tributárias, os líderes republicanos no Congresso talvez precisem continuar atendendo às demandas do Tea Party.

"Boehner ainda precisa ficar de costas para a parede com esse pessoal", disse Stephen Hess, pesquisador do Instituto Brookings que acompanha a atividade do Congresso.   Continuação...

 
Movimento conservador Tea Party deve manter influência sobre questões fiscais em Washington. 24/03/2012 REUTERS/Jonathan Ernst