Chávez pede para Obama esquecer exterior e se concentrar nos EUA

sexta-feira, 9 de novembro de 2012 12:50 BRST
 

Por Andrew Cawthorne

CARACAS, 9 Nov (Reuters) - O principal antagonista do governo dos EUA na América Latina, o presidente venezuelano, Hugo Chávez, aconselhou o recém reeleito presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, a evitar complicar ainda mais os conflitos internacionais e se concentrar em corrigir problemas internos.

"Ele deve refletir primeiro sobre seu próprio país, que tem uma série de problemas econômicos e sociais. É um país dividido, socialmente fraturado, com uma super-elite explorando o povo", disse o presidente socialista na noite de quinta-feira em sua primeira reação à vitória de Obama esta semana.

Chávez, que herdou o manto de Fidel Castro como o desafiante latino-americano mais loquaz do poder e da política dos EUA, disse que era hora de Obama se afastar de assuntos globais.

"Ele deveria se dedicar a governar seu país e se esquecer de dividir e invadir outras nações", acrescentou Chávez, que tem constantemente criticado o envolvimento dos EUA no Iraque, Afeganistão e outros pontos quentes de todo o mundo.

Para a decepção do governo dos EUA, Chávez foi reeleito para mais um mandato de seis anos em outubro, oferecendo uma plataforma contínua para implantar sua auto-intitulada revolução socialista e continuar protestando contra Washington.

Chávez, de 58 anos, uma figura mais silenciosa nestes dias após um ano de tratamento debilitante para duas rodadas de câncer, havia apoiado Obama sobre o concorrente republicano Mitt Romney na Casa Branca.

Mesmo assim, ele não disfarça sua decepção com Obama, acusando-o de perpetuar as mesmas políticas externas agressivas de seu antecessor, George W. Bush.

Desde sua vitória na eleição presidencial de 7 de outubro sobre o candidato da oposição Henrique Capriles, Chávez tem sido relativamente moderado, só aparecendo na televisão estatal uma ou duas vezes por semana em reuniões com ministros.   Continuação...

 
O presidente da Venezuela Hugo Chávez cumprimenta o ministro das Relações Exteriores do Brasil, Antonio Patriota, que vai embora após reunião no Palácio de Miraflores, em Caracas. Chávez aconselhou o recém reeleito presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, a evitar complicar ainda mais os conflitos internacionais e se concentrar em corrigir problemas internos. 01/11/2012 REUTERS/Carlos Garcia Rawlins