Febre amarela mata quase 100 em Darfur, alerta OMS

terça-feira, 13 de novembro de 2012 15:33 BRST
 

CARTUM, 13 Nov (Reuters) - Um surto de febre amarela já matou cerca de 100 pessoas nas últimas sete semanas em Darfur, no Sudão, informou a Organização Mundial da Saúde (OMS), uma região onde os combates têm prejudicado o acesso à saúde.

A doença transmitida por mosquitos se espalhou por todo o território remoto ocidental, mas os casos notificados foram concentrados no centro de Darfur, disseram a OMS e o Ministério de Saúde do Sudão em comunicado conjunto.

Darfur tem sido assolada por conflitos desde que os rebeldes pegaram em armas em 2003, queixando-se de que o governo negligenciou a região e isolou suas minorias não-árabes do poder.

A saúde é fornecida quase que inteiramente por agências de ajuda em algumas partes de Darfur.

O comunicado revelou que 329 casos suspeitos de febre amarela e 97 mortes foram relatados desde a última semana de setembro. O surto atingiu as capitais regionais de El Geneina e Nyala.

Não há nenhum tratamento eficaz para a febre hemorrágica, mas existe uma vacina. Cerca de 3,6 milhões de pessoas serão vacinadas nas áreas afetadas, disse o comunicado, sem informar quanto tempo o programa durará.

Quase a metade dos casos de febre amarela aconteceu em pessoas entre as idades de 15 e 30 anos, segundo a declaração, e cerca de um quarto era de crianças com idades entre cinco e 15 anos.

Centenas de milhares de pessoas podem ter morrido no conflito de Darfur, estimam a Organização das Nações Unidas (ONU) e grupos de direitos humanos. O governo estabeleceu o número de mortos em 10.000.

O Tribunal Penal Internacional emitiu um mandado de prisão contra o presidente do Sudão, Omar Hassan al-Bashir, acusado de crimes de guerra na região. Ele nega as acusações.

(Reportagem de Alexander Dziadosz)