Greves contra medidas de austeridade atingem sul da Europa

quarta-feira, 14 de novembro de 2012 18:47 BRST
 

Por Feliciano Tisera e Daniel Alvarenga

MADRI/LISBOA, 14 Nov (Reuters) - Policiais e manifestantes entraram em confronto na Espanha, Itália e Portugal nesta quarta-feira, enquanto milhões de trabalhadores fizeram uma greve por toda a Europa para protestar contra os cortes nos gastos que dizem agravar a crise econômica.

Centenas de voos foram cancelados, escolas foram fechadas, fábricas ficaram paralisadas e poucos trens circularam na Espanha e em Portugal, onde os sindicatos promoveram sua primeira greve geral coordenada. Paralisações na Bélgica interromperam serviços internacionais de trem.

Trabalhadores também protestaram na Grécia e França contra políticas de austeridade que tiveram um pesado efeito econômico e agravaram o desemprego na região.

Mas as demonstrações organizadas pela Confederação Europeia de Sindicatos não devem forçar os governos a rever suas estratégias de corte de curtos.

Na Espanha, 118 pessoas foram presas --inclusive duas que supostamente teriam material para fazer explosivos-- após brigas em piquetes e danos a vitrines. A polícia antichoque de Madri disparou balas de borracha contra manifestantes em um rápido confronto. Cerca de 74 pessoas ficaram feridas.

"Na austeridade, há apenas depressão e desemprego", disse Fernando Toxo, líder do maior sindicato espanhol, a dezenas de milhares de manifestantes no centro de Madri.

Na região central de Roma, manifestantes entraram em confronto com a polícia antichoque. Cerca de 60 manifestantes foram detidos.

A polícia enfrentou centenas de manifestantes em frente ao Parlamento em Lisboa, onde a televisão portuguesa mostrou imagens ao vivo de pessoas sendo espancadas. Ao menos duas pessoas foram vistas sendo detidas pela polícia, que disse ter reagido em resposta à ataques de pedras de manifestantes.   Continuação...