Feitos bizarros marcam o Dia dos Recordes Guinness

sexta-feira, 16 de novembro de 2012 10:56 BRST
 

Por Isla Binnie

LONDRES, 16 Nov (Reuters) - Milhares de crianças empilhando copos; 28 contorcionistas dentro de um carro pequeno; várias atividades beneficentes -- esses foram alguns eventos ocorridos em todo o mundo na quinta-feira por causa do Dia Guinness dos Recordes Mundiais.

Em Londres, muita gente riu ao ver as mulheres esmagadas dentro do Mini estacionado na margem sul do rio Tâmisa. "A adrenalina é incrível, mas é a pior coisa do mundo -- não tem ar, você precisa abstrair", disse Jayne Brockwell, que foi apelidada de "A Garota da Alavanca de Câmbio" por causa da posição que lhe coube dentro do carro.

Ainda mais desconfortável era o recorde que Manjit Singh tentaria quebrar horas depois em Leicester, na Inglaterra, erguendo mais de 23,5 quilos com os globos oculares.

Também na quinta-feira, havia tentativas de quebrar o recorde de apresentação de didgeridoo (instrumento de sopro dos aborígenes australianos) e de dança coletiva do tradicional estilo indiano kaikottikali, com 2.500 mulheres participantes.

"Acho que é meio que uma necessidade humana fundamental se impor desafios e limites", disse à Reuters Craig Glenday, editor do livro Guinness World Records.

"O que nos diferencia de animais é que fazemos coisas que distraem e são divertidas, rata-se apenas de se divertir... angariando dinheiro para a caridade."

Na Itália, voluntários tentavam criar a maior moeda de chocolate, para arrecadar fundos para uma escola primária destruída por um terremoto nos arredores de Módena.

Da Nova Zelândia ao Havaí, centenas de milhares de crianças estavam envolvidas na modalidade esportiva que consiste em empilhar pirâmides de copos plásticos especiais. Os organizadores queriam reunir 450 mil participantes, superando o recorde de 412.259.

No começo da madrugada de quinta-feira, 244.549 participantes já haviam sido contados, sendo quase 90 por cento dos EUA. "Só será um recorde depois de ser confirmado pelo Guinness, e isso pode levar algumas semanas", disse Corey Oliver, gerente de logística global e recordes da Associação Mundial de Empilhamento Esportivo.

(Reportagem adicional de Ian Simpson em Washington)