Milhares protestam no Egito contra ataques de Israel a Gaza

sexta-feira, 16 de novembro de 2012 14:15 BRST
 

CAIRO, 16 Nov (Reuters) - Milhares de pessoas protestaram em cidades egípcias nesta sexta-feira contra os ataques aéreos israelenses à Faixa de Gaza, enquanto o presidente do Egito prometeu apoiar os moradores do território diante da "agressão flagrante".

Governos ocidentais estão observando a resposta do Egito para os ataques por sinais de uma atitude mais firme em relação a Israel desde que um islâmico chegou ao poder no país mais populoso do mundo árabe.

O presidente Mohamed Mursi está consciente do sentimento anti-israelense entre os egípcios encorajado pelo levante da Primavera Árabe, no ano passado, mas precisa mostrar a aliados ocidentais que seu novo governo não é uma ameaça à paz no Oriente Médio.

O primeiro-ministro, Hisham Kandil, visitou Gaza nesta sexta-feira, em uma demonstração de solidariedade, depois de dois dias de ataques por aviões israelenses visando militantes. Médicos dizem que 22 palestinos morreram na ofensiva.

Três israelenses foram mortos por um foguete disparado a partir de Gaza na quinta-feira.

"Nós vemos o que está acontecendo em Gaza como uma agressão flagrante contra a humanidade", disse Mursi em comentários transmitidos pela agência estatal egípcia.

Mais de 1.000 pessoas se reuniram perto da mesquita do Cairo al-Azhar após as orações de sexta-feira, muitas agitando bandeiras egípcias e palestinas.

Em Alexandria, cerca de 2.000 manifestantes se juntaram em frente a uma mesquita e outras centenas de pessoas também se reuniram nas cidades egípcias de Ismailia, Suez e al-Arish para denunciar os ataques de Israel.

(Reportagem de Saad Hussein, no Cairo; Abdel Rahman Yousseff, em Alexandria; e Yousri Mohamed, em Ismailia)

 
Manifestantes egípcios cantam hinos e acenam bandeiras palestinas durante protesto contra a operação militar de Israel na Faixa de Gaza, na Praça Tahrir, Cairo. 16/11/2012 REUTERS/Mohamed Abd El Ghany