Hamas consegue apoio popular em meio a ataques israelenses

segunda-feira, 19 de novembro de 2012 08:59 BRST
 

Por Nidal al-Mughrabi

GAZA, 18 Nov (Reuters) - Enquanto Israel bombardeava alvos militantes palestinos na Faixa de Gaza pelo quinto dia, Ali Al-Ahmed foi às ruas da cidade de Gaza de pijama, neste domingo, para comprar ovos e chocolate para seus três filhos.

"Horripilante, é assim que é", disse.

"Mas eles também estão aterrorizados do outro lado da fronteira" disse. "Para ser honesto, eu achava que o Hamas tinha se esquecido como combater Israel. Eu estava errado."

Isso soará como música para os ouvidos do movimento islâmico que governa a faixa de terra onde 1,7 milhão de pessoas estão confinadas desde 2007, quando o governo do Hamas, hostil a Israel, assumiu o controle local.

Em conflitos anteriores, entre 2008 e 2009, muitos rivais palestinos culparam os foguetes disparados pelo Hamas pelas operações militares israelenses em Gaza.

Essa guerra terminou com 1.400 palestinos mortos e um território marcado por bombardeios e invasões. Israel perdeu 13 vidas na batalha.

Agora é diferente. A Primavera Árabe mudou o Oriente Médio, e o Hamas tem armas mais poderosas. Muitas páginas do Facebook expressam alegria indisfarçada pela busca dos israelenses por um lugar seguro, e dois cantores da Cisjorsdânia fizeram de "Strike tel Aviv"("Ataquem Tel Aviv") um hit do YouTube, elogiando o Hamas e outros grupos por dispararem foguetes que ameacem Tel Aviv e Jerusalém pela primeira vez.

"Hoje, tiramos nosso chapéu para o Hamas", disse Talal Okal, um analista político de Gaza que normalmente é crítico ao movimento. "Eles parecem organizados, cientes do que estão fazendo e prontos para pagar o preço para cumprir sua agenda. Pessoas ordinárias só podem admirá-los hoje."   Continuação...

 
Israel intensificou ataques contra a Faixa de Gaza pelo sexto dia. 19/11/2012 REUTERS/Mohammed Salem