Colômbia e Farc retomam negociações de paz

segunda-feira, 19 de novembro de 2012 09:45 BRST
 

Por Jeff Franks

HAVANA, 19 Nov (Reuters) - O governo da Colômbia e a guerrilha marxista Farc se sentam à mesa nesta segunda-feira, em Havana, para sua primeira negociação de paz em dez anos.

O conflito se arrasta há quase meio século e, resistindo a três tentativas anteriores de acordo, já causou milhares de mortos e deixou milhões de refugiados internos.

Mas desta vez o governo e a guerrilha demonstram mais otimismo.

Os negociadores do governo e das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) vão se reunir no principal centro de convenções de Havana, numa parte da cidade chamada Cubanacan, habitada principalmente por diplomatas estrangeiros.

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, deseja um acordo dentro de nove meses, mas os dois lados terão muitas questões espinhosas a resolver na sua pauta de cinco itens. Ela começa com o desenvolvimento rural, passando em seguida para temas como o futuro político e jurídico dos rebeldes, o fim definitivo do conflito, o problema do narcotráfico e a compensação para vítimas da guerra civil.

"Esperamos, como espera a maioria dos colombianos, que as Farc demonstrem que consideram este um momento para a força das ideias, não para a força das balas", disse o negociador governamental Humberto de la Calle, no domingo, ao partir de Bogotá para Havana.

O conflito começou em 1964, quando as Farc surgiram como um movimento agrário comunista, decidido a reverter o longo histórico de desigualdades sociais na Colômbia.

O grupo perdeu força por causa de uma ofensiva militar patrocinada pelos EUA desde 2002, e que reduziu seu contingente para cerca de 8.000 guerrilheiros, concentrados principalmente em remotas zonas de selvas e montanhas.   Continuação...