Movimentação em usina nuclear do Irã preocupa Ocidente

terça-feira, 20 de novembro de 2012 19:24 BRST
 

Por Fredrik Dahl

VIENA, 20 Nov (Reuters) - Autoridades ocidentais manifestaram preocupação na terça-feira com o que descreveram ser um inesperado descarregamento de combustível na primeira usina nuclear iraniana, cobrando esclarecimentos de Teerã, que disse se tratar de uma atividade normal.

A Agência Internacional de Energia Nuclear (AIEA, um órgão da ONU) disse em um relatório confidencial na sexta-feira que o combustível foi transferido no mês passado de um núcleo de reator na usina de Bushehr para um tanque de combustível gasto. O relatório não cita explicações para a transferência.

A usina de Bushehr, construída pelos russos com capacidade de 1 gigawatt, é um símbolo daquilo que os iranianos dizem ser suas ambições nucleares pacíficas. Mas o Ocidente contesta isso, acusando o país de tentar desenvolver armas atômicas. A inauguração da usina já foi adiada em cinco anos, e qualquer novo defeito causará constrangimentos para Teerã e Moscou.

"Essa não é uma questão de rotina ou algo que seja bastante comum", disse um funcionário ocidental graduado, pedindo anonimato. "Então é de grande preocupação. Precisamos de respostas."

Outro diplomata ocidental em Viena, onde fica a sede da AIEA, disse não saber o que aconteceu em Bushehr, mas que o deslocamento de combustível desperta questões de segurança. Teoricamente, o plutônio passível de enriquecimento para uso em armas nucleares poderia ser extraído das cápsulas de combustível usado.

Ali Asghar Soltanieh, embaixador do Irã junto à AIEA, disse que a movimentação de combustível é parte de um "procedimento técnico normal", vinculado à transferência de responsabilidades da usina de engenheiros russos para iranianos.

O embaixador iraniano em Moscou, Reza Sajadi, disse não haver razões para preocupação. "Antes da transferência da estação para especialistas iranianos, o trabalho de inspeção precisa ser concluído ... Nada de imprevisto está acontecendo lá".

Mas um diplomata familiarizado com Bushehr disse na semana passada que a transferência de combustível "certamente não era prevista".

No começo do ano passado, o Irã anunciou que retiraria combustíveis de reatores para testes. Uma fonte próxima à questão disse que havia suspeita de contaminação do combustível por partículas metálicas oriundas do equipamento de quase 30 anos usado na construção do reator.

(Reportagem adicional de Steve Gutterman em Moscou)