Jatos sírios bombardeiam arredores de Damasco pelo segundo dia

quarta-feira, 21 de novembro de 2012 13:42 BRST
 

Por Khaled Yacoub Oweis

AMÃ, 21 Nov (Reuters) - Aviões de guerra sírios bombardearam um subúrbio de Damasco nesta quarta-feira, contaram ativistas da oposição, à medida que os combates pesados nos arredores entravam no segundo dia, desafiando o controle de poder do presidente Bashar al-Assad na capital.

Caças MiG atingiram o subúrbio de Daraya, situado em meio a terras agrícolas perto da principal rodovia do sul, onde os rebeldes têm lutado contra unidades de elite da Guarda Republicana que se posicionaram ao redor da cidade, um importante centro da oposição da revolta que já dura 20 meses.

O canal de televisão pró-governo al-Ekhbariya disse que o Exército iniciou uma campanha para "limpar" Daraya do que descreveu como terroristas e mostrou tropas na extremidade da cidade, onde ativistas relataram 23 pessoas mortas nos últimos dois dias.

Opositores de Assad estão ganhando algum suporte internacional à medida que a recém-formada coalizão de oposição e grupos rebeldes buscam reconhecimento como a voz legítima do povo sírio, com a Grã-Bretanha se tornando o nono país a conceder-lhes esse status.

Uma grande ofensiva para expulsar combatentes do Exército Livre da Síria de Daraya em agosto matou 1.000 pessoas depois que os rebeldes tomaram a cidade, estabeleceram uma administração local e começaram a atacar alvos leais em Damasco, de acordo com fontes da oposição.

"O quadro militar parece ter mudado desde agosto. O regime está enviando tropas com tanques e cobertura aérea, mas eles não têm realmente avançado em Daraya", disse Abu Kinan, um ativista da oposição que ainda está na cidade, por telefone.

"Da última vez, os rebeldes tomaram a decisão de se retirar após o bombardeio do Exército matar um grande número de civis. Ainda há civis em Daraya, mas a maior parte fugiu e os combatentes estão mantendo seu território", acrescentou ele.

Sete civis e três rebeldes foram mortos em combates e bombardeios em Daraya, segundo fontes da oposição.   Continuação...