Irã diz que conflito mostra que Israel precisa se curvar aos direitos palestinos

sábado, 24 de novembro de 2012 16:41 BRST
 

DUBAI, 24 Nov (Reuters) - O presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad disse ao chefe do Hamas em Gaza neste sábado que oito dias de conflitos na fronteira mostram que Israel não teve escolha além de "se curvar" aos direitos palestinos, de acordo com a agência de notícias Irna, do Irã.

O Hamas, que tem apoio do Irã, se deleitou com o que chamou de vitória contra Israel após o cessar-fogo mediado pelo Egito na quinta-feira ter encerrado o conflito no qual 163 palestinos e seis israelenses morreram.

A agência Irna disse que Ahmadinejad, em rara ligação telefônica com Ismail Haniyeh, elogiou a "resistência e perseverança" palestina.

"Sionistas chegaram a um ponto morto e não têm outra alternativa senão reconhecer oficialmente e curvar-se ao direito absoluto da nação palestina", disse Ahmadinejad, citado pela Irna, referindo-se a Israel.

O site em inglês da agência não deu mais detalhes, mas Ahmadinejad já disse que Israel era um corpo estranho no Oriente Médio.

Arqui-inimigo de Israel, o Irã, que tem uma aliança com o Hamas, se referiu aos ataques israelenses como "terrorismo organizado". O líder exilado do Hamas, Khaled Meshaal, na quarta-feira, agradeceu o Irã xiita pelo que descreveu como armas e financiamento.

Em setembro, Ahmadinejad disse à Assembleia Geral da ONU, em Nova York, que Israel não tem raízes no Oriente Médio e que seria "eliminado", ignorando um aviso da ONU para evitar comentários incendiários.

A carta de fundação do Hamas também pede a destruição do Estado judeu.

(Reportagem de Sami Aboudi)