3 de Dezembro de 2012 / às 10:40 / em 5 anos

Rússia e China pedem à Coreia do Norte que desista de lançar foguete

MOSCOU/PEQUIM, 3 Dez (Reuters) - Rússia e China pediram nesta segunda-feira à Coreia do Norte que não leve adiante o plano de testar um novo foguete neste ano, o que Moscou disse que violaria restrições impostas pelo Conselho de Segurança da ONU.

A agência estatal de notícias norte-coreana anunciou no sábado a decisão de lançar mais um satélite espacial, supostamente avisando os vizinhos sobre a intenção de usar uma rota semelhante à que estava traçada para um foguete que caiu logo após o lançamento, em abril.

“Apelamos urgentemente ao governo (da Coreia do Norte) para reconsiderar a decisão de lançar um foguete”, disse a chancelaria russa em nota.

Ecoando críticas que já fizera em abril, a Rússia disse que a Coreia do Norte foi alertada a não ignorar uma resolução do Conselho de Segurança da ONU que “proíbe inequivocamente (a Coreia do Norte) de lançar foguetes usando tecnologia balística”.

A China não foi tão direta nas suas críticas, mas pediu a “todos os lados” que não tomem atitudes que “piorem o problema”.

“A China acredita que manter a paz e a estabilidade na península coreana e no nordeste da Ásia está de acordo com os interesses de todos os lados, e é a responsabilidade conjunta de todos os lados”, disse o porta-voz da chancelaria, Hong Lei, a jornalistas em Pequim, acrescentando que a China “continuará em contato e coordenará com todos os lados”.

Em Washington, a porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Victoria Nuland, condenou o lançamento planejado para domingo como sendo uma provocação na região da Ásia/Pacífico.

A Coreia do Norte diz que usa os foguetes para colocar em órbita satélites com finalidades pacíficas. Em sua nota, a Rússia disse que a Coreia do Norte só poderá exercer seu direito a atividades espaciais pacíficas se sanções impostas pela ONU forem suspensas.

Os alertas ocorrem algumas semanas antes da eleição presidencial de 19 de dezembro na Coreia do Sul, onde a questão de como lidar com a Coreia do Norte domina a campanha. O isolado Norte há anos tenta influenciar eventos importantes no Sul com ofensivas bélicas ou de propaganda.

As duas Coreias estão tecnicamente em guerra desde o armistício que encerrou seu conflito de 1950 a 53, e potências regionais há anos tentam conter o programa nuclear norte-coreano.

Os países que tentam conter o programa de armas norte-coreano acreditam que o país comunista está usando os lançamentos de foguetes para aperfeiçoar tecnologias voltadas ao desenvolvimento de um arsenal capaz de lançar uma ogiva nuclear nos EUA.

Reportagem adicional de Ben Blanchard em Pequim

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below