ONU retira pessoal "não essencial" da Síria devido à insegurança

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012 16:28 BRST
 

GENEBRA, 3 Dez (Reuters) - A Organização das Nações Unidas (ONU) informou nesta segunda-feira que estava retirando "todo o pessoal não essencial internacional" da Síria devido à piora da situação de segurança, restringindo seus trabalhadores humanitários restantes à capital.

Até 25 de cerca de 100 funcionários estrangeiros poderão deixar o país nesta semana, disse a ONU, acrescentando que mais veículos blindados são necessários depois de ataques nas últimas semanas a comboios de ajuda humanitária e do sequestro de bens ou veículos.

Alguns comboios foram atingidos no fogo cruzado entre as forças do governo da Síria e as rebeldes, incluindo um incidente em que dois funcionários ficaram feridos perto do aeroporto.

"A ONU decidiu enviar todo o pessoal não essencial internacional para fora da Síria e suspender todas as viagens de campo fora da capital por agora", disse o Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (Ocha) em comunicado.

Damasco havia sido considerada segura até a semana passada, quando o principal aeroporto foi fechado e os voos para a Síria foram cancelados após vários ataques de rebeldes.

"A situação está mudando significativamente", disse o consultor-chefe de segurança da ONU na Síria, Sabir Mughal. "Há um risco cada vez maior para (funcionários) humanitários, como resultado de disparos ou conflitos indiscriminados entre as partes."

(Reportagem de Stephanie Nebehay)