Gana vai às urnas em teste de democracia estável

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012 19:08 BRST
 

ACRA, 7 Dez (Reuters) - Eleitores em Gana esperaram horas em longas filas para votar nesta sexta-feira em eleições complicadas por atrasos e problemas logísticos, mas que muitos esperam que consigam consolidar a reputação do país como modelo de democracia africana.

As três décadas de paz do país e um recente boom econômico impulsionado pelo petróleo diferenciam Gana na África Ocidental, uma região mais conhecida pelas guerras civis, golpes de Estado e corrupção.

"Estou votando por paz, unidade e desenvolvimento", disse Michael Akpabli, um homem de 61 anos que estava na fila de pessoas esperando para depositar suas cédulas em uma seção eleitoral na capital Acra.

"Estou votando por alguém que será capaz de traduzir nossos sonhos em realidade", disse.

O presidente do país, John Dramani Mahama, que substituiu o falecido John Atta Mills depois de sua morte em consequência de uma enfermidade em julho, enfrenta o rival Nana Akufo-Addo do Novo Partido Patriótico (NPP), que prometeu educação gratuita e acabar com a corrupção.

Pesquisas de opinião apontam para uma disputa apertada, aumentando o prospecto de uma repetição do quase impasse das eleições de 2008, em que Mills derrotou Akufo-Addo em um segundo turno com uma margem de menos de 1 por cento.

Os resultados são esperados em dois dias depois do fechamento das urnas. Um segundo turno será realizado em três semanas se ninguém obtiver a maioria dos votos nesta sexta-feira.

O início da votação foi atrasado em alguns locais de votação em Acra devido à falta de cédulas e de urnas, e observadores disseram ter havido vários relatos de falhas na recém-introduzida leitura da impressão digital eletrônica, usada para verificar a identidade dos eleitores.

ESPERA DE CINCO HORAS   Continuação...