Hospital diz que trote real é deplorável após morte de enfermeira

sábado, 8 de dezembro de 2012 17:53 BRST
 

Por Tim Castle e Morag MacKinnon

LONDRES/PERTH, Austrália, 8 Dez (Reuters) - O hospital londrino que tratou a esposa grávida do Príncipe William, Kate, condenou neste sábado uma rádio australiana que passou um trote buscando informações sobre a duquesa, após o aparente suicídio de uma enfermeira que atendeu o telefone.

Houve discussões renovadas sobre a ética da imprensa após Jacintha Saldanha, 46, a enfermeira que foi enganada pela ligação telefônica da rádio ao hospital King Edward VII, foi encontrada morta nos aposentos dos funcionários do hospital na sexta-feira.

Os donos da rádio 2DayFM, de Sidney, disseram não ter feito nada demais e que ninguém poderia ter previsto o resultado trágico da piada, mas duas grandes companhias australianas suspenderam os anúncios que transmitiam na estação.

O trote, em que os radialistas --que fingiam ser a Rainha Elizabeth e o Príncipe Charles apesar de seus sotaques australianos-- foram bem-sucedidos em questionar a enfermeira a respeito da condição médica de Kate, alcançou as manchetes globais.

O presidente do conselho do hospital, Lord Glenarthur, fez um apelo para que os donos da rádio garantam que um incidente como esse nunca aconteça novamente.

"Foi extremamente tolo da parte de seus apresentadores até mesmo considerar tentar abrir seu caminho para um de nossos pacientes por meio de mentiras, quanto mais fazer a ligação", disse ele em carta ao presidente do Conselho Administrativo da Southern Cross Austereo, Max Moore-Wilton.

"E então descobrir que, não só isso aconteceu, mas que a ligação foi gravada e a decisão de transmiti-la, aprovada pela gestação da sua estação, é verdadeiramente deplorável".