Trabalhadores da saúde protestam contra cortes e reformas na Espanha

domingo, 9 de dezembro de 2012 16:58 BRST
 

MADRI, 9 Dez (Reuters) - Milhares de trabalhadores da área da saúde, em greve desde o mês passado, fizeram uma manifestação em Madri para protestar contra cortes no orçamento e planos do governo regional da capital espanhola de privatizar a administração de hospitais públicos e centros médicos.

Essa foi a terceira vez que médicos, enfermeiras e profissionais da área de saúde fizeram uma manifestação, desde que as autoridades locais apresentaram um plano em outubro para colocar seis hospitais e dezenas de clínicas médicas sob gestão privada. O plano também faz com que os pacientes precisem pagar uma taxa de um euro por receita médica.

Os trabalhadores começaram uma greve por tempo indeterminado no mês passado contra o plano, que não foi apoiado pelo governo de centro-direita do primeiro-ministro, Mariano Rajoy.

Os profissionais de saúde estão em greve de segunda a quinta-feira, toda semana, e atendem aos pacientes apenas na sexta-feira, ao mesmo tempo em que atendem às emergências.

As 17 regiões autônomas da Espanha controlam as políticas de saúde, educação e gastos. Todas elas tiveram que implementar cortes drásticos nesse ano, enquanto o país se esforça para cumprir as duras metas acertadas com a União Europeia.

Vestidos com jalecos brancos, os manifestantes gritavam palavras de ordem e slogans como "A saúde não está à venda" e "Saúde 100 por cento pública, não às privatizações."