Assolada pela guerra, economia síria deve recuar 20% em 2012, diz IIF

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012 12:56 BRST
 

BEIRUTE, 10 Dez (Reuters) - A economia da Síria, assolada pela guerra, vai encolher 20 por cento em 2012 e todas as reservas em moeda estrangeira podem ser gastas até o final do ano que vem, afirmou uma associação global da indústria financeira nesta segunda-feira.

Desde a revolta iniciada em março de 2011, que recentemente desencadeou uma guerra civil, a inflação subiu 40 por cento e a taxa oficial do câmbio da libra síria contra o dólar caiu 51 por cento, informou o Instituto Internacional de Finanças (IIF).

Além de financiar a guerra, o governo do presidente Bashar al-Assad gastou bilhões de dólares de reservas cambiais em salários, subsídios de combustível e para valorizar a moeda do país, afirmaram banqueiros em Damasco.

O Instituto, sediado em Washington, disse que as reservas poderiam ser esgotadas até o final de 2013.

Ativistas de oposição estimam que cerca de 40.000 pessoas foram mortas na Síria, à medida que combates entre rebeldes e o Exército devastaram quase todas as cidades e agora alcançaram as redondezas da capital.

Medidas internacionais para pressionar Assad a renunciar também afetaram a economia.

"As sanções que a Liga Árabe implementou no final de 2011 e as sanções dos EUA e UE em setembro de 2011 significaram mais privações econômicas para 2012 e 2013", disse o vice-diretor do departamento para África e Oriente Médio do IIF, Garbis Iradian.

A Síria ainda não divulgou previsões econômicas para 2012, mas o Ministério das Finanças disse que o crescimento do PIB será positivo.

(Reportagem de Oliver Holmes)

 
Economia da Síria deve encolher 20 por cento em 2012 devido à guerra civil que assola o país. 08/12/2012 REUTERS/ Yazan Homsy