Chefe do Hamas encerra visita a Gaza pedindo unidade palestina

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012 17:09 BRST
 

Por Nidal al-Mughrabi

GAZA, 10 Dez (Reuters) - O líder do Hamas, Khaled Meshaal, terminou sua primeira visita à Faixa de Gaza nesta segunda-feira com a promessa de que seu movimento islâmico iria tentar sanar as rixas políticas com rivais palestinos que dominam a Cisjordânia ocupada.

Suas declarações reforçam as promessas que ele e o presidente palestino, Mahmoud Abbas, líder do movimento rival Fatah, fizeram em uma conversa telefônica há um mês, de avançar com um acordo de unidade paralisado e oposto por Israel.

Durante seus quatro dias em Gaza, Meshaal enfureceu ainda mais Israel com promessas de jamais reconhecer o Estado judeu e buscar "libertar a terra da Palestina centímetro a centímetro", que Israel disse ver como justificativa para sua relutância em ceder terra ocupada em troca da paz.

Mas em declarações breves feitas antes de cruzar a fronteira de volta para o Egito vindo de Gaza, Meshaal se concentrou nas rixas palestinas.

"Entrei em Gaza levando um grande amor por ela e saio com um amor ainda maior em meu coração", disse o líder de 56 anos do Hamas, que vive no exílio.

"De Gaza eu enfatizei a necessidade por reconciliação, e faço isso novamente. Gaza e Cisjordânia são duas partes queridas de uma pátria palestina maior, e precisam uma da outra".

O Hamas governa a minúscula Faixa de Gaza e sua população de 1,7 milhão desde 2007, quando venceu uma breve guerra civil com os rivais seculares do Fatah, que ainda controlam a Cisjordânia ocupada. Israel retirou soldados e colonos de Gaza em 2005.

As duas principais facções palestinas têm tentado, geralmente sem muito entusiasmo, sanar suas diferenças. Meshaal prometeu pressionar pela unidade, que é almejada pelos cidadãos palestinos.   Continuação...