Potências mundiais reconhecem coalizão de oposição síria

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012 10:07 BRST
 

MARRAKECH (Reuters) - Potências mundiais reunidas em Marrakech reconheceram a nova coalizão de oposição da Síria como "legítima representante do povo sírio" e pediu ao presidente Bashar al-Assad "para se afastar do poder", de acordo com um esboço da declaração obtido na quarta-feira.

A declaração de 130 representantes internacionais que compõem o grupo de nações "Amigos da Síria" alertou que qualquer uso de armas químicas ou biológicas pelo governo de Assad teria uma "séria reação".

"Os participantes reconhecem a Coalizão Nacional como representante legítimo do povo sírio e a organização guarda-chuva sob a qual a oposição síria está reunindo-se", segundo texto de esboço da declaração, obtida antes da reunião entre as principais potências, excluindo Rússia e China.

"Bashar al-Assad perdeu legitimidade e deve afastar-se para permitir um processo 'sustentável de transição política'", disse o texto do documento, obtido pela Reuters.

Referindo-se a recentes informações da Inteligência do Ocidente, que sugerem que Assad usaria armas químicas e biológicas no conflito que dura há 20 meses, as principais potências afirmaram que "qualquer uso de armas químicas na Síria seria abominável e que provocaria uma séria resposta da comunidade internacional".

Eles também anunciaram a criação de um fundo de resgate "para apoiar o povo sírio", pedindo a Estados e organizações para fazerem contribuições para o fundo.

 
Membro do Exército Sírio Livre pula depois de retirar bandeira oficial síria e erguer bandeira da oposição, na cidade de Ras al-Ain. Potências mundiais reunidas em Marrakech reconheceram a nova coalizão de oposição da Síria como "legítima representante do povo sírio" e pediu ao presidente Bashar al-Assad "para se afastar do poder". 25/11/2012 REUTERS/Amr Abdallah Dalsh