Sem menção a visitas, Irã e agência da ONU encerram discussões

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012 20:14 BRST
 

DUBAI, 13 Dez (Reuters) - O Irã disse que houve progresso na reunião de quinta-feira com inspetores nucleares em Teerã, mas não deu detalhes além de informar que um novo encontro foi marcado para meados de janeiro.

A Agência Internacional de Energia Nuclear (AIEA, um órgão da ONU) não se pronunciou sobre a nova rodada de discussões a respeito do programa nuclear iraniano, e não há sinais de que os inspetores internacionais terão acesso ao complexo militar de Parchin, conforme solicitado.

A agência acredita que o Irã realizou testes de explosivos com possíveis aplicações em armas nucleares em Parchin. Teerã nega repetidamente pedidos para que o complexo militar seja inspecionado, e insiste no caráter pacífico do seu programa nuclear.

O encontro de quinta-feira foi o primeiro contato direto do Irã com a agência desde agosto, e o resultado poderia indicar se a República Islâmica está mais disposta a esclarecer dúvidas da comunidade internacional sobre seu programa atômico.

Israel - supostamente a única potência nuclear do Oriente Médio - ameaça realizar uma ação militar contra instalações atômicas iranianas caso a diplomacia não baste para levar o país a suspender suas atividades de enriquecimento de urânio, num impasse que se arrasta há anos.

Após rodadas de negociações anteriores neste ano, que não resultaram em nenhum avanço importante para as investigações da AIEA, as duas partes geralmente apresentaram versões diferentes dos fatos.

Comentando os relatos da imprensa iraniana, um diplomata ocidental em Viena, onde fica a sede da AIEA, disse que um dos principais objetivos da agência nos contatos desta semana era visitar Parchin, e isso não pareceu ter ocorrido.

O embaixador iraniano junto à AIEA, Ali Asghar Soltanieh, disse à imprensa do seu país que "um bom progresso foi feito", mas não citou nada de específico. Um novo encontro foi marcado para 16 de janeiro, segundo ele.

A delegação da AIEA volta na sexta-feira a Viena.

(Reportagem de Zahra Hosseinian e Fredrik Dahl)