Argentina está perto de novo acordo automotivo com México

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012 08:25 BRST
 

BUENOS AIRES, 14 Dez (Reuters) - A Argentina está perto de acertar um novo acordo para o comércio de veículos com o México, afirmou na quinta-feira a presidente argentina, Cristina Kirchner. O acordo atual entre os países está congelado desde junho.

O Acordo de Complementação Econômica com o México, em vigor desde 2003 e que permite o livre comércio bilateral de veículos, foi suspenso pela Argentina por um período de três anos e Buenos Aires fixou uma tarifa de 35 por cento sobre os carros mexicanos.

Em 2011, a Argentina, cujo governo leva adiante uma firme política protecionista, teve um desequilíbrio no comércio de veículos com o México de quase 1 bilhão de dólares.

O possível novo acordo entre Argentina e México deve ser divulgado depois que o Brasil reformou em março os termos de seu pacto automotivo com o México, impondo cotas crescentes para importação de veículos por três anos sem incidência de tarifa de importação .

A revisão do acordo de livre comércio foi pedida depois que as exportações de carros do México para o Brasil saltaram 70 por cento em 2011 em meio à forte demanda do mercado brasileiro.

Os governos argentino e mexicano estão "fechando um novo acordo automotivo (...) muito, muito importante", disse a presidente argentina segundo a agência oficial de notícias Télam.

Cristina afirmou que nesta sexta-feira os detalhes do acordo poderão ser conhecidos. Em novembro, os fabricantes de veículos mexicanos e argentinos conseguiram um acerto preliminar para a retomada do comércio livre de veículos.

O secretário de Economia do México e a ministra da Indústria da Argentina devem fazer um anúncio nesta sexta-feira, na Cidade do México, junto com representantes da indústria automotiva. A Secretaria de Economia do México não comentou as declarações da presidente argentina.

As montadoras instaladas na Argentina que mais importam do México são Volkswagen, Renault, Nissan, Honda e Chrysler.

(Por Nicolás Misculin, reportagem adicional de Adriana Barrera na Cidade do México)