Brasil ameaça ação na OMC sobre restrições por vaca louca

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012 16:02 BRST
 

Por Gus Trompiz

PARIS, 21 Dez (Reuters) - O maior exportador mundial de carne, o Brasil, dará prazo aos países que frearam as importações do seu produto após o caso "atípico" de vaca louca, até março para eliminar as medidas ou registrará uma queixa na Organização Mundial do Comércio, disseram autoridades do Ministério da Agricultura nesta sexta-feira.

Cinco países implementaram proibições totais ou parciais sobre as importações de carne brasileira desde a confirmação neste mês de um caso atípico de Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB), em uma vaca que morreu em 2010.

O caso atípico pode ocorrer espontaneamente em gados idosos e o animal de 13 anos do caso brasileiro nunca desenvolveu a EEB em pleno desenvolvimento, tendo dado positivo para o teste de uma proteína que é o agente causal da doença da vaca louca.

Anteriormente, o Brasil havia lançado uma ofensiva diplomática para acabar com as restrições após a morte de uma vaca no Estado do Paraná, que foi confirmada apenas este mês pelas autoridades brasileiras.

Agora, porém, o Brasil prometeu tomar uma ação regulatória contra os países que rejeitam sua carne, dizendo que não há espaço para tal ação.

"Março é o prazo final", disse Enio Marques Pereira, Secretário de Defesa Agropecuária, após reunião da Organização Mundial para Saúde Animal (OIE) nesta sexta-feira.

Autoridades ressaltaram que o Brasil manteve seu status como país com risco negligenciável sob a classificação da OIE, e que as normas da OIE consideram seguro para o consumo os produtos como carne e gelatina, mesmo quando a EEB foi declarada no país.

A vaca brasileira em questão nunca entrou na cadeia alimentar.   Continuação...