Presidente do Equador aumenta salário mínimo antes de eleição

sábado, 22 de dezembro de 2012 17:56 BRST
 

QUITO, 22 Dez (Reuters) - O presidente do Equador, Rafael Correa, anunciou neste sábado um aumento de 9 por cento no salário mínimo para trabalhadores do setor privado em 2013, uma medida que pode ajudar a consolidar sua reeleição em fevereiro. As pesquisas já apontam um cenário favorável a ele.

O esquerdista Correa, que ganhou forte apoio popular por uma série de medidas, incluindo a expansão ao acesso à saúde e a melhora de estradas e rodovias, aumentou o salário mínimo de 292 dólares para 318 dólares por mês.

Ele tomou a decisão unilateralmente após não ter conseguido chegar a um acordo com os líderes empresariais, que dizem que o economista sufocou o crescimento com os constantes confrontos com o setor privado.

Correa deseja que o salário mínimo alcance um "valor digno" de 368 dólares por mês, que estaria pareado ao custo dos bens básicos, incluindo alimentos, vestuário e mensalidades escolares.

Ele tem aumentado gradualmente o salário mínimo durante os quase seis anos no poder, e insiste que as empresas não podem reportar lucros enquanto os trabalhadores não ganhem o suficiente para suas despesas básicas.

Pesquisas de opinião mostram que Correa está liderando a corrida eleitoral para o pleito de 17 de fevereiro com até 30 pontos percentuais de vantagem sobre seu rival mais próximo, embora a campanha não comece oficialmente até janeiro, e a opinião pública seja historicamente volátil na nação.

O Equador adotou o dólar como sua moeda após uma crise financeira em 1999.

(Reportagem de Alexandra Valencia)