Arcebispo de Canterbury diz que Igreja Anglicana está ferida, mas não morta

terça-feira, 25 de dezembro de 2012 13:46 BRST
 

LONDRES, 25 Dez (Reuters) - O líder da Igreja Anglicana disse nesta terça-feira que a votação no mês passado que derrubou a proposta para permitir que mulheres se tornassem bispos havia sido "profundamente dolorosa", mas que a cristandade ainda era relevante na Grã-Bretanha, apesar da queda no número de fiéis.

O Arcebispo de Canterbury, Rowan Williams, que comanda a Igreja com 80 milhões de fiéis em todo o mundo, disse em seu sermão de Natal que a resposta à questão de se a cristandade já "teve os seus dias" era um "ressonante não".

A Igreja da Inglaterra obteve uma vitória acirrada na votação contra a permissão de mulheres bispos no mês passado --para o descontentamento de Williams e do primeiro-ministro David Cameron-- em uma medida que seus líderes disseram que arriscava minar seu papel como Igreja consolidada da sociedade, com pessoas do clero na câmara alta do Parlamento.

Em outro comentário transmitido na terça-feira, porém gravado anteriormente, o líder da Igreja Romana Católica na Inglaterra e País de Gales, o Arcebispo de Westminster Vincent Nichols, disse que os planos do governo de permitir o casamento homossexual era "deplorável".

Um censo mostrou no início do mês que o número de pessoas na Inglaterra e País de Gales que se descrevem como cristãs caiu em 13 por cento ao longo da última década, porém Williams alertou aos secularistas para não ficarem "muito animados".

"Há muito mais perguntas para se fazer antes que nós pudéssemos assumir que os números do censo nos dizem que a fé está perdendo sua influência na sociedade", afirmou Williams.

Williams, 62 anos, está se afastando após 10 anos no cargo, e será substituído no ano que vem pelo ex-executivo do setor petrolífero Justin Welby.

(Reportagem de Mohammed Abbas)

 
Arcebispo de Canterbury, Rowan Williams, fala durante reunião de conselho da Igreja Anglicana, na Igreja no centro de Londres. O líder da Igreja Anglicana disse que a votação no mês passado que derrubou a proposta para permitir que mulheres se tornassem bispos havia sido "profundamente dolorosa", mas que a cristandade ainda era relevante na Grã-Bretanha. 21/11/2012 REUTERS/Yui Mok/Pool