Oposição síria rejeita pedido da Rússia por negociações

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012 13:47 BRST
 

Por Yara Bayoumy e Steve Gutterman

PROVÍNCIA DE ALEPPO, Síria/ MOSCOU, 28 Dez (Reuters) - A Rússia convidou o líder da oposição da Síria nesta sexta-feira para uma visita pela primeira vez, mas a oposição rapidamente rejeitou um novo apelo de Moscou por conversas com o governo do presidente Bashar al-Assad para acabar com a guerra civil de 21 meses.

Com o avanço dos rebeldes no segundo semestre de 2012, os diplomatas vêm procurando há meses por sinais de que Moscou, o principal apoiador internacional de Assad, irá retirar a sua proteção.

Até agora, a Rússia tem mantido a sua posição de que os rebeldes devem negociar com o governo de Assad, que governa desde que seu pai tomou o poder em um golpe de Estado há 42 anos.

"Eu acho que uma avaliação realista e detalhada da situação dentro da Síria incentivará os membros da oposição razoáveis a buscar maneiras de iniciar um diálogo político", disse o chanceler russo, Sergei Lavrov, nesta sexta-feira.

A declaração foi imediatamente rejeitado pela Coalizão Nacional, de oposição.

"A coalizão está pronta para conversações políticas com qualquer um... mas não vai negociar com o regime de Assad", afirmou o porta-voz Walid al-Bunni à Reuters.

"Tudo pode acontecer depois que o regime de Assad e todos os seus fundamentos se forem. Depois disso, podemos sentar com todos os sírios para definir o futuro."

O enviado de Moscou para o Oriente Médio, o vice-ministro das Relações Exteriores, Mikhail Bogdanov, convidou o líder da Coalizão Nacional, Moaz Alkhatib, para uma visita -- sua primeira abertura ao chefe da organização formada no mês passado, desde então reconhecida pela maioria dos países ocidentais e árabes como legítima representante da Síria.   Continuação...