Cidade de Nova York recusa pedido para identificar donos de armas

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013 10:06 BRST
 

Por Noreen O'Donnell

NOVA YORK, 2 Jan (Reuters) - Autoridades de um município do Estado de Nova York disseram na terça-feira que vão se recusar a liberar nomes de titulares locais de licenças de armas a um jornal que vem publicando as identidades de milhares de moradores com licença para portar armas.

O administrador do município de Putnam, Dennis Sant, disse que iria negar um pedido por informações sobre detentores de porte de arma feito pelo Journal News, sediado em Nova York, que vem sendo criticado por já ter publicado milhares dessas identidades.

"Há o Estado de direito, e há o certo e o errado, e o Journal News está claramente errado", disse Sant em um comunicado. "Não poderia me perdoar se alguém que tivesse porte de arma em Putnam fosse prejudicado pelo único propósito de vender jornais".

O Journal News primeiro publicou um mapa listando milhares de detentores de licença de arma nos condados de Westchester e Rockland, ao norte da cidade de Nova York, em 24 de dezembro. Os dois municípios forneceram as informações depois que o jornal entrou com o pedido sob o Ato de Liberdade de Informação.

Os editores dos jornais disseram que buscaram as informações depois das mortes por tiros em 14 de dezembro de 26 crianças e adultos em uma escola de Newtown, Connecticut, que provocou um debate nacional sobre o controle de armas.

"Acreditamos que a lei seja clara e que isso seja uma informação pública e os moradores do Condado de Putnam têm o direito de conhecê-la", disse Janet Hasson, presidente e publisher de The Journal News Media Group em um comunicado na terça-feira.

"Estamos preocupados porque as autoridades do condado aparentemente mudaram de posição desde que pedimos a informação pela primeira vez", disse Hasson.

Grupos de proprietários de armas do Estado pediram um boicote de publicidade ao jornal até que o mapa e as identidades sejam tirados do site.

Funcionários do condado de Putnam disseram que tinham reunido os nomes para o jornal, mas disseram na terça-feira que não entregariam a informação.

O secretário do município disse ter recebido centenas de telefonemas pedindo que não desse a informação ao jornal.