Atrás nas pesquisas, Monti revela aliança para eleições na Itália

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013 20:30 BRST
 

ROMA, 4 Jan (Reuters) - O primeiro-ministro italiano, Mario Monti, revelou nesta sexta-feira a aliança que vai liderar nas eleições parlamentares de fevereiro que, segundo pesquisas de opinião, ele está atrás de partidos tradicionais.

O ex-comissário europeu de 69 anos, que substituiu Silvio Berlusconi como primeiro-ministro em novembro de 2011 quando a Itália lutava para evitar uma crise financeira, anunciou na semana passada que tentaria um segundo mandato.

Monti disse nesta sexta-feira que o grupo seria chamado de "Com Monti pela Itália", cujo logo é um símbolo circular com as cores da bandeira italiana e seu sobrenome no centro.

"Espero que (a nova aliança) ajude a melhorar a política e que renove o interesse dos italianos que se afastaram da política, envolvendo-os ativamente, mais uma vez, nas questões públicas", disse Monti.

Monti também disse que não quer ser ministro da Economia no governo de outro primeiro-ministro, caso não consiga se eleger.

"Não acho que teria a motivação para me comprometer a servir um governo que não concordou comigo em pelo menos 98 por cento das políticas", afirmou em entrevista ao canal La 7.

Pesquisas de opinião mostram que até 50 por cento dos eleitores planejam se abster ou estão indecisos sobre a eleição de 24 e 25 de fevereiro.

Uma pesquisa do instituto Tecne, divulgada na SkyTG24 nesta sexta-feira, mostrou que a aliança de Monti deve atrair pouco mais que 12 por cento dos votos.

Isso comparado aos 40 por cento de seus rivais na esquerda, o Partido Democrático (PD) e seu aliado de coalizão Esquerda, Ecologia, Liberdade, e 25 por cento para a provável coalizão de centro-direita do Povo da Liberdade (PDL), de Berlusconi, e a Liga Norte, mostrou a pesquisa.

(Reportagem de Catherine Hornby e Steve Scherer)