Após escândalo, Áustria busca reduzir risco nas finanças públicas

sábado, 5 de janeiro de 2013 16:07 BRST
 

VIENA, 5 Jan (Reuters) - A ministra das finanças da Áustria, Maria Fekter, minimizou neste sábado os riscos causados às finanças regionais por um funcionário de Salzburgo, que aplicou centenas de milhões de euros do dinheiro dos contribuintes em derivativos de alto risco.

Falando um dia depois de as autoridades federais e locais terem chegado a um acordo sobre medidas para coibir o uso especulativo de fundos públicos, Maria Fekter disse em uma entrevista de rádio que as autoridades locais já agiram para reduzir os negócios que tinham potencial para causar problemas.

"Muita gente aprendeu com a situação surgida após 2007 e os riscos que emergiram nos mercados financeiros, mudaram suas atitudes e reduziram gradualmente posições muito arriscadas", declarou a ministra à emissora estatal ORF.

Maria observou, no entanto, que as regiões ainda têm dívida elevada em moeda estrangeira, a qual precisa ser cortada em etapas.

O diretor da agência de auditoria do país alertou esta semana, em entrevista a uma revista, que o caso Salzburg poderia ser apenas a ponta de um iceberg e que "bombas-relógio no valor de bilhões" podem estar ocultas nas finanças das administrações regionais, às quais falta transparência.

A ministra e altos funcionários da adminsitração do país concordaram na sexta-feira que a Áustria precisa alterar a sua Constituição para afastar o financiamento público de alto risco.

(Reportagem de Michael Shields)