Homem é condenado à prisão no Kuwait por insultar o emir

domingo, 6 de janeiro de 2013 16:01 BRST
 

KUWAIT, 6 Jan (Reuters) - Um tribunal do Kuwait sentenciou um homem a dois anos de prisão por insultar o governante do país no Twitter, afirmou um advogado que acompanha o caso.

De acordo com a setença, publicada pelo jornal on-line Alaan neste domingo, a mensagem escrita por Rashid Saleh al-Anzi em outubro "feriu os direitos e os poderes do emir" Sabah al-Ahmad al-Sabah.

Anzi, que tem 5.700 seguidores no Twitter, deve recorrer da decisão, de acordo com o advogado, que falou à Reuters sob a condição de anonimato.

O Kuwait, aliado dos Estados Unidos e importante produtor de petróleo, tem adotado linha-dura em relação a comentários politicamente sensíveis na internet.

Em junho do ano passado, um homem foi condenado a dez anos de prisão por colocar em risco a segurança do Estado ao insultar Maomé e os governantes da Arábia Saudita e do Bahrein nas redes sociais.

Dois meses depois, as autoridades detiveram Meshaal al-Malik Al-Sabah, membro da família governante, também por causa de comentários no Twitter. Ele acusou autoridades de corrupção e defendeu reformas políticas, disse um ativista.

No Kuwait, um dos países mais abertos a diferentes opiniões no Golfo, ao mesmo tempo que manifestações públicas sobre temas locais são comuns, as autoridades têm evitado grandes protestos, ao estilo da Primavera Árabe, que derrubou governos árabes no ano passado.

Mas a tensão tem aumentado entre o governo, no qual membros da mesma família ficam com os principais cargos, o Parlmento eleito e também os grupos de oposição.

(Reportagem por Mahmoud Harbi)