7 de Janeiro de 2013 / às 10:20 / em 5 anos

Pacto eleitoral faz Berlusconi desistir de candidatura na Itália

Por Barry Moody

Ex-premiê italiano, Silvio Berlusconi, segura cartaz que destaca as ações tomadas por seu governo de 2001 a 2011, em sua casa, em Roma. 22/12/2012 REUTERS/Assessoria de imprensa do partido Liberdade do Povo/Divulgação

ROMA, 7 Jan (Reuters) - Silvio Berlusconi desistiu na segunda-feira de ser candidato a primeiro-ministro da Itália, como parte de um pacto com o partido regional Liga Norte para garantir a formação de um governo estável depois da eleição do mês que vem.

Há várias semanas Berlusconi tentava selar um acordo com os ex-aliados para fortalecer seu bloco de centro-direita, seguindo uma estratégia que visa a sufocar o eventual governo de centro-esquerda que deve emergir das eleições de 24 e 25 de fevereiro.

A Liga anteriormente rejeitava o acordo por causa da oposição da sua base partidária à candidatura de Berlusconi, que já foi primeiro-ministro em outras ocasiões e tem sua imagem marcada por escândalos.

Roberto Maroni, dirigente da Liga Norte, confirmou o acordo, que segundo ele “diz explicitamente que o candidato a primeiro-ministro não será Silvio Berlusconi”.

Antes, falando à rádio RTL, Berlusconi deixou em aberto quem seria o premiê numa eventual coalizão de centro-direita. Ele disse que preferia ser ministro da Economia, e que o candidato mais provável para a chefia de governo seria Angelino Alfano, secretário do seu partido, o Povo da Liberdade (PDL).

Berlusconi queria a aliança com a Liga Norte para aumentar sua chance de formar uma bancada no Senado suficiente para obstruir projetos do eventual governo de centro-esquerda.

O magnata, que até agora insistia na candidatura própria, disse que permanecerá como chefe da coalizão, e, como tal, como responsável por indicar o primeiro-ministro em caso de vitória.

Maroni disse que gosta de Alfano, mas que o candidato da Liga Norte a premiê será Giulio Tremonti, ex-ministro da Economia.

A centro-esquerda, sob o comando de Pier Luigi Bersani, há meses lidera as pesquisas. A última delas, publicada no domingo, indicava uma vitória com 38 a 39 por cento dos votos.

A aliança do PDL-Liga Norte ficaria com 28 por cento, e uma aliança centrista comandada pelo atual premiê demissionário, Mario Monti, teria 14 a 15 por cento, segundo esse levantamento.

A polêmica lei eleitoral italiana deve garantir uma maioria confortável para Bersani na Câmara dos Deputados.

Reportagem adicional de Philip Pullella e Jennifer Clark

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below