Conflitos são "inimigo número 1" do crescimento da África, diz FMI

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013 20:49 BRST
 

Por Joe Bavier

ABIDJAN, 7 Jan (Reuters) - As nações emergentes africanas se tornaram uma importante força motriz para o crescimento mundial, disse na segunda-feira a diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional, Christine Lagarde, alertando no entanto que os conflitos armados representam a maior ameaça para o futuro desenvolvimento do continente.

Nações africanas ricas em recursos naturais continuam apresentando índices de crescimento impressionantes, num momento em que as economias da Europa estão estagnadas, e a dos EUA apresenta uma recuperação tímida.

O FMI prevê um crescimento de 5,25 por cento para o PIB conjunto da África Subsaariana em 2013, um índice inferior apenas ao das economias emergentes da Ásia, e bem superior à média mundial de 3,6 por cento.

"Está claro que os países emergentes são o motor do crescimento econômico mundial", disse Lagarde em discurso a parlamentares na Costa do Marfim, maior produtor mundial de cacau, que recebeu no ano passado 4 bilhões de dólares em alívio para a sua dívida externa, sob um programa do FMI e do Banco Mundial.

"Não posso deixar de me impressionar pela resistência do continente... diante dos mais sérios distúrbios vistos pela economia mundial desde a Grande Depressão", disse ela.

O diversificado setor minerador africano - que abrange desde a produção de cobre e ferro até ouro e diamantes - está tendo um crescimento expressivo, em grande parte por causa da demanda das indústrias chinesas.

O mesmo vale para o setor petrolífero. E os investidores estão cada vez mais sendo atraídos por seu crescimento e por seus mercados consumidores praticamente inexplorados.

Os recentes avanços, no entanto, correm o risco de serem revertidos por causa de persistentes conflitos em grande parte do continente, segundo Lagarde.   Continuação...