Iranianos libertados chegam a Damasco após troca de prisioneiros

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013 15:36 BRST
 

Por Marwan Makdesi e Ece Toksabay

DAMASCO/ISTAMBUL, 9 Jan (Reuters) - Quarenta e oito iranianos libertados por rebeldes sírios em troca de mais de 2.000 prisioneiros civis detidos pelo governo sírio chegaram ao centro de Damasco nesta quarta-feira, informou uma testemunha à Reuters.

O governo sírio não fez referência à troca de prisioneiros e o paradeiro dos prisioneiros civis não foi imediatamente conhecido.

Grupos de oposição acusam o governo de deter dezenas de milhares de presos políticos durante os 12 anos de regime do presidente Bashar al-Assad e afirmam que esses números dispararam acentuadamente durante os 21 meses de guerra civil.

A brigada rebelde síria al-Baraa apreendeu os iranianos no início de agosto e, inicialmente, ameaçou matá-los, dizendo que eram membros da Guarda Revolucionária Islâmica, da elite iraniana, enviados para lutar por Assad.

A República Islâmica, um de seus mais fieis aliados, negou essa informação, dizendo que eram peregrinos xiitas visitando santuários, e pediu a Turquia e Catar para usar suas conexões com os insurgentes sírios para ajudar a proteger a libertação.

Os iranianos libertados chegaram a um hotel de Damasco em seis ônibus pequenos, parecendo cansados, mas bem de saúde, cada um carregando uma flor branca, e foram recebidos pelo embaixador iraniano Mohammad Reza Sheibani. Eles não falaram com os jornalistas.

Forças governamentais sírias fecharam acordos locais com grupos rebeldes para negociar prisioneiros, mas a libertação anunciada nesta quarta-feira foi a primeira vez em que não sírios foram libertados em uma troca.

O governo de Damasco tem periodicamente libertado centenas de prisioneiros durante o conflito, mas sempre insistiu que estes presos "não têm sangue em suas mãos".   Continuação...